Mostrando postagens com marcador arroz. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador arroz. Mostrar todas as postagens

sábado, 7 de janeiro de 2017

abobrinha recheada

ingredientes:
4 abobrinhas novinhas, pequenas/mais ou menos 12 cm, retinhas, medianamente grossas
2 1/2 xícaras de arroz - usei o parboilizado
300 g de coxão duro moído
3 tomates maduros e grandes sem pele
3 colheres/sopa de óleo da melhor qualidade 1 cebola grande
1 colher/sopa de chimichurri
bastante coentro picado - opcional
caldo de 1 limão
1 cabeça de alho grande, cada dente cortado grosseiramente em três
1 sache de caldo de tomate
sal a gosto
azeite extra virgem
água fervente

preparando:
numa vasilha misture a carne, o arroz, o coentro, o caldo do limão, o sache de caldo de tomate e acerte o sal. reserve.
corte a ponta do cabo da abobrinha e retire o miolo, o máximo que conseguir sem deixá-la estourar. reserve.
refogue por 1 minuto o chimichurri e o alho. acrescente a cebola, refogue por mais 1 minuto, acrescente o tomate cortado em pedaços graúdos, as sobras do miolo das abobrinhas e refogue pra incorporar todo mundo. acerte o sal e deixe em fogo bem baixinho, aguardando e vigiando
recheie as abobrinhas cuidadosamente. reserve.
o recheio que sobrar leve pra panela onde o refogado está aguardando, misture tudo, acerte o sal e ajeite as abobrinhas recheadas.
acrescente a água fervente pra envolver tudo, e ajeite com a colher de pau, se necessário.
regue com azeite extra virgem, tampe a panela e deixe cozinhar em fogo baixo.

abracadabra et, voilà!!!

sexta-feira, 17 de junho de 2016

arroz com quirera de milho ... ou canjiquinha

engana-se quem pensa que quirera/quirela é apenas um milho quebrado que alimenta galinha e passarinho.
a canjiquinha, quirera ou quirela combina com a carne num quisado além de ser a figura central do arroz que eu criei quando o meu porrinha era pequeno.
aqui no lar, o arroz com quirera é um clássico.

mise-en-place:
1 1/2 xícaras/chá de arroz
1/2 xícara/chá de quirera que é encontrada no mercado com o nome que canjiquinha
1 colher/sopa do meu tempero - receita aqui!!!
óleo água sal

preparando:
deixe a quirera de molho na água por 15 minutos - não precisa lavar, e a água do molho não deve ser desprezada. ela será parte da água do cozimento do arroz.
refogue o arroz conforme a sua receita, acrescente a quirera e sua água e deixe cozinhar.
pronto!!!

abracadabra et, voilà!!!

sábado, 30 de maio de 2015

arroz de forno, cremoso e gostoso

ingredientes:
2 cenouras cortadas em cubinhos
um punhado de vagem macarrão cortada em cubinhos
1 xícara de arroz
1 sache de caldo de picanha
140/150 g de chester fatiado cortado em quadradinhos
150 g de muçarela
4 colheres/sopa cheias de queijo parmesão ralado
3 ovos inteiros
1/2 xícara/chá de molho de tomate
1 copo de iogurte natural
1 caixa de creme de leite

preparando:
cozinhe a cenoura e a vagem, em água temperada com o sache de caldo de picanha. reserve a água.
com a água, cozinhe o arroz, acertando o sal.
numa vasilha misture o arroz, a vagem e a cenoura, o chester. misture bem, e deixe esfriar.
acrescente os outros ingredientes, misturando cada um aos que já foram acrescentados.
leve ao forno - médio/alto - pra encorpar e gratinar.

domingo, 22 de setembro de 2013

arroz de forno com frango, cogumelos e uvas

arroz parboilizado aconchegado num refratário untado, escondido por frango temperado com curry, sal e pimenta moída na hora, coberto por cogumelos ​​e uvas, e um molho com creme de leite ... tudo levado ao forno!!!

o blogg explica: é imprescindível que seja o arroz parboilizado, por ele ser pré-cozido.
saiba que o arroz parboilizado possue os mesmos nutrientes do arroz integral e traz um brinde, cozinhar mais rápido.
seu nome deriva das palavras, partial e boiled que, juntas, formam uma terceira palavra, parboiled que quer dizer parcialmente fervido.

este é um prato realmente delicioso de arroz com frango, cogumelos e uvas, combinados em um único lote de bom gosto, e fácil de fazer.

eu escolhi usar pedaços desossados de frango, que serão cozidos, juntamente com o arroz, no caldo de frango alegremente derramado sobre tudo.

ingredientes:
8 pedaços de frango
curry
páprica picante
sal
pimenta moída na hora
250 g de cogumelos paris, frescos, cortados em fatias grossas - eles devem ser refogados na panela que dourou o frango, com alho e cebola
2 xícaras uvas verdes, sem sementes, cortadas ao meio
óleo e manteiga para dourar
2 1/2 xícaras de creme de leite
4 xícaras de caldo de frango/galinha/legumes
3 xícaras de arroz parboilizado

preparando: pré-aqueça o forno em temperatura quente, a 200ºc.
unte com manteiga e óleo, um refratário grande, que possa conter arroz, frango e caldo, e espalhe o arroz parboilizado, cru, em seu interior.

polvilhe os pedaços de frango com curry, páprica picante, coentro, sal e pimenta moída na hora, em toda a sua superfície, e doure o frango na manteiga e no óleo.
cubra o arroz do refratário com os pedaços de frango.

na mesma panela que dourou o frango doure as uvas, sempre mexendo, por 1 minuto. reserve.
doure os cogumelos na mesma panela que dourou frango e uvas, e deixe cozinharem por alguns 2/3 minutos, em sua própria água. reserve. na mesma panela misture o caldo de frango/galinha com o creme de leite. acerte o sal, e adicione a pimenta do reino.

espalhe os cogumelos sobre os pedaços de frango, depois as uvas, e despeje o molho de creme de leite sobre tudo.

se quiser, prepare e deixe na geladeira até o momento de levar ao forno.

leve ao forno para assar e gratinar, por 35/45 minutos, até que tudo esteja dourado.

abracadabra et, voilà!!!

segunda-feira, 29 de julho de 2013

pão de banana - sem glúten

"... as antipatias que a cercavam faziam-na assanhada, como um círculo de espingardas enraivece um lobo. fez-se má; beliscava crianças até lhes enodoar a pele; e se lhe ralhavam, a sua cólera rompia em rajadas. começou a ser despedida. num só ano esteve em três casas. — saía com escândalo, aos gritos, atirando as portas, deixando as amas todas pálidas, todas nervosas ...
a inculcadeira, a sua velha amiga, a tia vitória, disse-lhe:
— tu acabas por não ter onde te arrumar, e falta-te o bocado do pão!
o pão! aquela palavra que é o terror, o sonho, a dificuldade do pobre assustou-a. ...
" - eça de queirós/o primo basílio/sobre a criada juliana -
a minha vida tomou um rumo bastante acolhedor, no caminho pra me tornar uma ótima cozinheira, e eu segui aprendendo muito do que há para saber sobre comida, sobre gulodices, sobre agradar pelo estômago, sobre os prazeres da mesa.

e, assim como na vida de uma personagem saída de uma história de eça de queirós - o escritor português cuja obra, em maior escala, menciona a gastronomia como parte da sua fabulação - pude dividir minha intimidade com as panelas, colheres e assadeiras.

este pão é úmido, saboroso, e ótimo para agradar a quem o faz, e a quem senta à mesa como convidado, e sua receita tem um preâmbulo, outra receita, a da farinha de grão-de-bico:

farinha de grão-de-bico caseira, faça a sua!!! é preciso 1 saquinho de grão-de-bico, deixado de molho na água, de um dia pro outro - troque a água enquanto estiver acordada/o.
no dia seguinte, retire da água e deixe secar bem. depois de secos, bata no liquidificador, até formar uma farinha bem fina.
secar os grãos no forno, sem deixar queimar, e depois bater no liquidificador, facilita bastante.
pronto!!! use como quiser.

ingredientes:
3 ovos
1/4 xícara - chá - de mel
1 colher - chá - de essência de baunilha
3/4 xícara - chá - de farinha de grão-de-bico
1 colher - chá - de bicarbonato de sódio
1/2 colher - chá - de canela em pó
1 pitada de sal
1 banana amassada
1 xícara - chá - de nozes picadas
1/2 xícara - chá - de tâmaras e/ou ameixas pretas picadas
1/2 xícara - chá - de uvas-passas
1/2 xícara - chá - de coco ralado sem açúcar
1/2 xícara - chá - de cenoura ralada

preparando:
pré-aqueça o forno em temperatura quente ... depende do seu forno ... homem/mulher e forno, como não canso de dizer, cada um sabe do seu/sua.
envolva as frutas com amido de milho e, antes de utilizar, penere pra retirar o excesso.
unte uma forma de pão - se não tiver, a de buraco no meio serve - com spray de cozinha, com óleo de girassol ou com manteiga.
usando a batedeira - ou a mão - misture os ovos, o mel e a baunilha, até agregar bem.
em uma outra tigela misture a farinha de grão-de-bico, o bicarbonato, a canela e o sal ... adicionar a mistura seca aos ingredientes úmidos. misture tudo até que a massa fique lisa e homogênea.
junte a banana amassada, as nozes, as tâmaras, as passas, o coco e a cenoura. despeje a massa na forma preparada.
asse até que o pão esteja levemente dourado - 35 a 40 minutos - ou até que um palito inserido no centro saia limpo. deixe esfriar antes de desenformar.

notas do blogg: algumas receitas, como esta do pão de banana, exigem farinhas bem fininhas. ao comprar, sinta-as com a mão. farinhas granuladas - a de arroz, por exemplo - dão resultados diferentes. esta é uma questão essencial.
portanto, pra este pão, a farinha tem que ser fininha, como a de grão-de-bico, indicada na receita, que pode ser comprada em lojas cerealistas, ou feita em casa.

um bom passeio, pra quem gosta de cozinhar, e conhecer ingredientes incomuns nos mercados comuns, são as lojas cerealistas, aquelas que lembram mercearias antigas e vendem farinhas, grãos, cereais, sementes, frutas secas, ... a granel.

onde comprar??? em sampaulo, no mercadão, ou na rua santa rosa; no rio de janeiro, no saara, e no mercado de madureira.

poucos paulistanos sabem que, próximo ao mercadão, existe o paraíso de compras gastronômicas. a rua santa rosa e seu entorno compõem a zona cerealista. uma área onde os aromas tomam conta da atmosfera local. a santa rosa tem tudo o que o mercadão tem, com a vantagem do preço ser muito ... muito atraente.

sobre a rua santa rosa/sp

por outro lado, se houver alguma loja de produtos naturais perto de você, que não seja tão versátil, faça-a ser dando sugestões ao dono, ele certamente irá agradecer, pois muitas vezes não sabe o que comprar ou quais são as necessidades específicas da freguesia.

abracadabra et, voilà!!!

requeri/regina claudia

domingo, 16 de dezembro de 2012

macarrão com molho de abóbora, manjericão e creme de leite

a macarronada de hoje é com macarrão de arroz no formato de parafuso, e molho de abóbora, manjericão e creme de leite ...

não confundir com o macarrão de arroz japonês, o bifum ... o macarrão de arroz da receita de hoje, aqui no blogg, é um macarrão amarelinho, aparentemente igual ao macarrão de semolina ou ovos ...

o macarrão de arroz não contém gluten ... porque a farinha de arroz não tem gluten ...

eu conheço apenas uma marca de macarrão de arroz no comércio ... o macarrão de arroz é espetacular!!! ele se mantém al dente, mesmo se passar o tempo habitual de cozimento ...
ingredientes:
1kg de abóbora cortada em cubos
2 copos de molho de tomate
1 copo de água
1 caixinha de creme de leite
2 saches de caldo de bacon - acerte o sal, se necessário, usando o próprio sal ou mais saches de caldo de bacon
2 colheres - sopa - de óleo de girassol
3 colheres - sopa - do meu tempero - receita, aqui
3 folhas de louro fresquinhas
1 xícara de manjericão
queijo parmesão ralado ou ricota esfarelada

preparando:
ponha pra ferver, a água/sal que irá cozinhar o macarrão.
numa panela coloque a abóbora, o molho de tomate, a água e deixe ferver.
passado um tempo, assim que a abóbora estiver molinha, desmanche os pedaços de abóbora, acrescente o meu tempero, o manjericão, o louro, acerte o sal, e deixe apurar.
lembre que fogão e marido, cada um sabe do seu.
por fim acrescente o creme de leite. misture, deixe levantar fervura, e desligue o fogo.
cozinhe o macarrão, tempere com o molho e cubra com o queijo parmesão ralado, ou com a ricota esfarelada.

simples assim!!!

abracadabra et, voilà!!!

requeri/regina claudia

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

torta de arroz


ingredientes pra massa:

2 1/2 xícaras - chá - de arroz cozido
1/2 xícara - chá - de leite
1/2 lata de creme de leite sem soro 3 gemas
3 claras em neve
salsinha picada

ingredientes pro recheio:

150g de presunto picado miúdo ou ralado
150g de muçarela ralada
250g de requeijão

preparando:
ligue o forno a 180°.
unte uma assadeira - pode ser assadeira retangular, redonda ou forma de buraco no meio.
numa vasilha, misture o recheio. reserve.
bata no liquidificador o arroz cozido, o leite, o creme de leite e as gemas.
coloque a massa numa tigela, e misture com as claras em neve e com a salsinha, delicadamente.
na forma untada coloque metade dessa massa, espalhe o recheio e cubra com a outra metade da massa.
leve para assar até que a superfície fique dourada.
sirva com salada ... muita salada!!!

varie o recheio utilizando frango desfiado, carne moída, legumes picados e refogados, peito de peru, vários queijos com molho de tomate, salsicha, salmão ou outro peixe sem espinha, ... ou acrescente outros ingredientes ao presunto, muçarela e requeijão.

abracadabra et, voilà!!!
requeri/regina claudia

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

pizza recheada com ovos, feita com massa de sobras arroz

fico muito feliz.
me interessam mais as receitas que vêm da simplicidade.
me interessa a culinária que manuseia produtos simples, comuns, que consigam criar novo sabor a partir de todos os que já conheço.

comandar a combinação de cores e sabores, seja daqueles já conhecidos, buscando uma variação do mesmo sabor, seja tentando combinar outros e novos, equivale a trilhar um caminho que me conduz à felicidade.

coloridos e cheirosos resultados maravilhosos, de visual repaginado, e apresentação aprimorada, um prato que mantenha um sabor familiar renova o apetite de quem se delicia também com os olhos.

basta uma idéia, um toque qualquer, alguma ousadia e não é preciso nem a história, já que a história está traduzida, simplesmente, nos odores, nos sabores, na imagem incrivelmente particular.

sobre simplicidade: tem coisa mais simples do que arroz com ovo???

ingredientes pra massa:
2 xícaras - chá - de arroz cozido
1 colher - sopa - do meu tempero - receita, aqui
1 1/2 copos - 250ml - de leite
1 xícara - chá - farinha de trigo integral
100g de margarina
3 ovos inteiros
100g de queijo parmesão ralado
ou
100g de queijo gorgonzola esfarelado
1 colher - sopa - de fermento químico

preparando:
aquecer o forno em temperatura quente.
untar uma assadeira, redonda ou quadrada, com óleo e farinha.
bater todos os ingredientes no liquidificador.
ajeitar a massa na assadeira na grossura que preferir. a massa pode ser mais fina ou mais grossa. se preferir, use mais assadeiras.

o rechear ficaria ao seu gosto, se esta fosse uma pizza qualquer, mas como a sugestão é de pizza recheada com ovos ... anote!!!

ingredientes pro recheio:
6 ovos - menos ou mais ovos vai depender da quantidade de pessoas ... ovos de codorna não devem ser descartados
2 cebolas médias cortadas em cubinhos
3 tomates, sem pele e sem sementes, cortados cubinhos
2 pimentões verdes, cortados em cubinhos - retire a fibra branca do interior do pimentão, para que não fique indigesto
cogumelos cortados em fatias
muçarela ralada
queijo cheddar - ralado, cremoso ou em fatias
sal, manjericão e orégano a gosto
pimenta dedo de moça, sem as sementes, picada - opcional
azeite de oliva

preparando o recheio:
numa panela ou frigideira, coloque azeite, deixe esquentar, e salteie as cebolas, os tomates, os pimentões, os cogumelos e a pimenta - opcional - temperando a gosto com sal, orégano. antes de retirar do fogo, acrescente folhas de manjericão, mexa e desligue.

a massa estando pronta, assada, cubra com os legumes salteados, com a muçarela ralada, com o queijo cheddar, quebre os ovos, acomodando sobre tudo, distribuindo como preferir. regue tudo, muito bem, com azeite de oliva.

se quiser inovar ainda mais, quebre os ovos dentro de rodelas de pimentão, ou faça pizzas individuais, ... invente!!!
leve ao forno para derreter os queijos e cozinhar os ovos, até o ponto de sua preferência, ou seja, gema mais mole, gema mais dura.

abracadabra et, voilà!!!
requeri/regina claudia

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

risoto de aspargos frescos

hoje o blogg está se dedicando a espalhar a boa palavra sobre as virtudes de aspargos frescos, uma flor dentre os alimentos mais perfeitos da natureza.

as lanças carnudas de espargos verdes são suculentas e ele tem sido considerado uma iguaria desde os tempos antigos.

este vegetal altamente valorizado chega com a primavera, quando os seus rebentos rompem o solo e atingem o seu comprimento de 6-8 polegadas, tamanho suficiente pra colheita.

membro da família lily - liliaceae - a mesma que relaciona lírios, cebola, alho e aloe vera, tendo seu cultivo bem feito, há de produzir nutrientes ideais e fundamentais ao nosso organismo.
lider no fornecimento de ácido fólico - necessário para a formação de células sanguíneas - ele é uma boa fonte de fibras, potássio, vitamina b6, vitaminas a e c, e tiamina.
o aspargos não têm gordura, não contêm colesterol e têm baixo teor de sódio.

conheça, aqui, suas qualidades

importante: não desperdice a água do cozimento dos aspargos. ela pode ser usada no arroz, sopa, etc. se não utilizar, guarde na geladeira, e aproveite em outro dia.

habitue-se ao consumo de aspargos frescos!!!

ingredientes:
1 quilo de aspargos frescos
3 colheres e 1/2 - sopa - de manteiga ou margarina
3 colheres do meu tempero - receita, aqui
1 xícara de arroz arbóreo
1/2 xícara de vinho branco seco
3 1/2 xícaras de caldo de galinha ou caldo de legumes - substituia parte da água do caldo, por parte da água da cozedura dos espargos
1/2 xícara queijo parmesão ralado
sal, se necessário
pimenta do reino a gosto
um fio de azeite de oliva
preparando:
leve, ao fogo, uma panela com água, e deixe ferver.
limpe os aspargos retirando, se necessário, as extremidades duras, aquelas que são opostas às extremidades das florzinhas. cortando uma pontinha com a faca, é possível sentir se está tenra ou não.
corte em pedaços de 4cm, aproximadamente.
escalde os pedaços de aspargos na água fervendo por, aproximadamente, 2 minutos.
ao completar este tempo, retire os aspargos da água com a ajuda de uma espumadeira, vá colocando no lavador de arroz ou escorredor de macarrão, e escalde com água gelada, para que eles mantenham uma cor viva. reserve os aspargos e a água do cozimento.
em uma panela, derreta 3 colheres - sopa - de manteiga com um fio de azeite de oliva, e refogue o meu tempero, sem dourar.
coloque o arroz no refogado, e deixe incorporar tudo muito bem, mexendo por 2 ou 3 minutos e adicione o vinho, sempre mexendo.
quando o vinho tiver sido quase totalmente absorvido pelo arroz vá, aos poucos, adicionando o caldo de frango ou legumes, sempre mexendo, adicinando, mexendo, para evitar que o arroz grude na panela. este processo deve durar uns 15 ou 20 minutos, até que o arroz esteja cozido ao dente.
caso o caldo não seja suficiente, utilize o resto da água do cozimento dos aspargos.
acerte o sal. adicione a pimenta do reino, se quiser.
junte a 1/2 colher de manteiga ou margarina que sobrou, e o queijo ralado.
misture tudo, muito bem, e sirva com salada, com peixe, ... com o acompanhamento que preferir.

abracadabra et, voilà!!!
requeri/regina claudia

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

bacalhau com arroz e repolho

"... a cozinha e a adega exercem uma larga e directa influência sobre o homem e as sociedades." - eça de queirós -

ingredientes:
1/2kg de bacalhau
1 repolho pequeno
1 xícara de arroz
1/2 vidro de leite de coco
3 colheres - sopa - do meu tempero - receita, aqui
1 xícara - chá - de cheiro verde picado
folhas de manjericão
azeitonas pretas picadas
azeite de oliva extra virgem

preparando:
retire o sal do bacalhau. deixe de molho em um fio de água corrente por 5 ou 6 horas. retire as espinhas e a pele e separe em lascas. alguns supermercados vendem as lascas de bacalhau limpas, sem espinhas e sem a pele. se comprar assim, apenas deixe de molho.
numa panela refogue o meu tempero sem dourar.
deixe refogar por 5 minutos e acrescente o bacalhau. refogue.
acrescente o repolho, só a parte das folhas, sem o talo do meio, mexa e deixe até que as folhas do repolho estejam cozidas a seu gosto, e tudo muito bem agregado.
à parte, cozinhe o arroz misturando, na água, o leite de coco. - vem conhecer a minha receita de arroz -
misture o refogado de bacalhau e repolho ao arroz, arrume tudo numa travessa bonita, e enfeite com o cheiro verde, o manjericão e as azeitonas.

se quiser, sirva com brócolis cozidos.

o beberico pode ser suco ou vinho.
o vinho tinto apresenta taninos, e não combina com peixe, pois, deixa na boca, uma sensação desagradável de metal.
o bacalhau é invocado, não foge à regra, e se dá bem com vinho sem taninos.
ele se dá bem com vinho tinto, branco, e rosado. um branco encorpado com inclinação pra madeira, ou algum bem frutado, sem taninos, sustenta muito bem, não apenas as receitas com bacalhau, mas várias receitas com peixe.

abracadabra et, voilà ... ora pois!!!
requeri/regina claudia

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

salada de arroz com legumes e nuggets

a culinária francesa é saborosa, diversificada, mas contém alguns ingredientes que desconhecemos. pra resolver isso, basta buscar substituições que, mesmo correndo o risco de não serem idênticas, podem levar a resultados semelhantes ou melhores.
o spigol, por exemplo, um dos ingredientes da receita de hoje, ele empresta a luz da cor amarela aos alimentos, serve para colorir a paella, ou para tornar fulgurantes, os molhos, as massas, o arroz, a mandioca, ...
o spigol é uma especiaria criada à base da aliança entre a pimenta doce, a curcuma e o açafrão mas pode, cá entre nós, ser substituída, simplesmente, pelo açafrão.
o spigol tem sua história a partir na argélia, em 1876 com antoine espig.

agora, bem informados, vamos à receita.

ingredientes:
500g de arroz - o arroz parboilizado é mais soltinho, mais ao dente, mais firme, mais apropriado
6g spigol - ou açafrão
legumes - abobrinha, ervilhas frescas, beringela, salsão, pepino, rabanete, cenoura cozida ou ralada crua, chuchu, pimentão, ervilha torta, vagem macarrão, brócolis, cogumelos, ... são algumas das sugestões, escolha ao seu gosto
500g de nuggets de frango
300g de muçarela cortada em cubos
tomates cereja
pó de curry para temperar
azeite de oliva extra virgem
1 cebola roxa picada
cebolinha picada
azeitonas pretas, picadas
salsinha picada
coalhada seca
preparando:
pique a cebola roxa e deixe numa vasilha, de molho, em água.
leve os nuggets ao forno e até que fiquem dourados.
cozinhe o arroz em água salgada no qual você coloca o spigol ou o açafrão, de modo que o arroz fique amarelo. depois de cozido, escorra o arroz e deixe esfriar.
corte em cubos pequenos, os legumes que escolheu, e cozinhe em água salgada, ao dente, respeitando o tempo de cozimento de cada um deles.
retire cada legume cozido da água e, com o auxílio de uma peneira, coloque-o na água fria corrente. reserve-os.
rale a cenoura, caso opte por ela desta forma.
misture o arroz bem escorrido e frio aos legumes, e junte os tomates cereja cortados ao meio.
escorra a cebola que estava de molho na água, e junte ao arroz.
tempere tudo com o curry em pó, a gosto ... não hesite quanto ao sabor e o gosto.
corte a muçarela em cubos pequenos e junte ao arroz, e aos legumes.
acrescente as azeitonas, a cebolinha e a salsinha.
regue com azeite de oliva.
espalhe sobre a salada os nuggets assados.
sirva a salada acompanhada pela coalhada seca.

c'est fini!!!

dependendo da ocasião, os nuggets podem ser substituídos por lascas de bacalhau devidamente tratado pra retirada do sal e das espinhas.

esta salada de arroz é perfeita para envolver as crianças. elas vão esperar para comer!!!

enfim, eu dou a idéia, você faz do seu jeito.

abracadabra et, voilà!!!
requeri/regina claudia

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

massa para pizza com sobra de arroz

a gastronomia culinária é um agradável desafio.

a criação de receitas, a adaptação de outras para as necessidades de cada um, o aproveitamento de novos ingredientes e das sobras utilizáveis, farão absoluto sucesso, se forem tratadas sob a supervisão da nossa imaginação.

saborosas e práticas receitas podem servir para aproveitarmos sobras de alimentos ricos em vitaminas e fibras e vitaminas muitas vezes jogadas fora por absoluta falta de conhecimento sobre seus nutrientes.
evitar desperdicio é uma questão de educação e civilidade e, consequentemente, uma das melhores contribuições com o meio ambiente.
sobra de arroz, por exemplo, pode resultar em bolinhos dourados e atraentes, em massa de rocambole, em massa de bolo salgado e, até, em massa de pizza.
crie um recheio, porque a massa está garantida pela sobra do arroz cozinhado durante a semana.
ingredientes:
2 xícaras - chá - de arroz cozido
1 colher - sopa - do meu tempero - receita, aqui
1 1/2 copos - 250ml - de leite
1 xícara - chá - farinha de trigo integral
100g de margarina
3 ovos inteiros
100g de queijo parmesão ralado
ou
100g de queijo gorgonzola esfarelado
1 colher - sopa - de fermento químico

preparando:
aquecer o forno em temperatura quente.
untar uma assadeira, redonda ou quadrada, com óleo e farinha de trigo integral.
bater todos os ingredientes no liquidificador.
ajeitar a massa na assadeira.
a massa pode ser mais fina ou mais grossa. para a massa mais fina, não encher a assadeira.

rechear ao seu gosto, com muçarela, tomate e manjericão, escarola, pimentão, camarão, brócolis, atum ou sardinha em lata, queijos, linguiça, milho verde, tomate seco, alho frito, presunto, frutas, cogumelo, frango desfiado, carne seca, etc, etc, etc, ...

atenção!!!
aproveitando o mote da utilização de sobra de arroz como massa de pizza, vale direcionar nosso interesse pro desperdício de alimentos crus, os vegetais, por exemplo.
o recheio da pizza feita com sobra de arroz cozido, ficará ótimo se utilizarmos a folha da beterraba refogada no alho e óleo, e coberta com muçarela ralada.
a folha da beterraba é desprezada e pode ser encontrada nas feiras livres, no sacolão ou no supermercado. basta pedir aos responsáveis, nos bastidores desses estabelecimentos. eu sempre faço isso, com absoluto sucesso.

alguns sites que dizem sobre o desperdício/aproveitamento dos alimentos:

é isso.
requeri/regina claudia

terça-feira, 30 de agosto de 2011

arroz de forno com queijo branco



ingredientes:
1 colher - sopa - de margarina
2 colheres - sopa - de azeite de oliva
2 colheres - sopa - do meu tempero - receita, aqui
1 caixinha - 200g - de creme de leite
4 xícaras - chá - de arroz cozido - receita, aqui
1 xícara - chá - de pão esfarelado - costumo usar pão integral, em qualquer formato
1 copo de requeijão
3 ovos batidos como se fosse pra fazer omelete
1 colher - chá - de mostarda
1 pimentão vermelho picado - retire a nervura branca do interior do pimentão, para evitar que fique indigesto
250g de queijo branco em cubos
sal e pimenta a gosto
salsa e cebolinha picadas
1 colher - sobremesa - de fermento em pó

preparando:
ligue o forno em temperatura quente.
unte uma forma, com margarina e farinha de rosca.
misture o arroz, o pão, o requeijão, os ovos, a mostarda, o pimentão, o queijo branco, o creme de leite, o sal, a pimenta, a salsa e a cebolinha.
em uma panela, refoque o meu tempero, na margarina e no azeite. deixe esfriar e derrame sobre a mistura dos outros ingredientes. mexa para incorporar bem, e acrescente o fermento, mexendo devagar.
coloque na forma untada. asse em forno quente, até dourar.
sirva com salada.

quarta-feira, 27 de julho de 2011

strogonoff de berinjela



salve a berinjela!!!

a berinjela tem seu berço lá pelas bandas da índia, e é bem cultivada em clima tropical.
além de seu formato arredondado, acentuadamente ovalado, tem casca fina, roxa, quase preta, e polpa branca de agradável mastigação, cravejada de sementes claras, miúdas, e escondidinhas. sendo de boa qualidade seu cabinho é verde, firme, e o fruto é livre de manchas.
se estiver muito madura não é legal comprar, tampouco consumir. nota-se facilmente quando é assim, pois, sua aparência é murcha, enrugada e mole. sendo assim, o sabor pode ser amargo e desagradável.

a berinjela deve ser armazenada sob refrigeração, por um período máximo de 4 dias, inteira, com o cabinho, e com casca. só assim, não haverá perda das funções de seus nutriientes.

para que ela se mantenha íntegra, lave-a bem, em água corrente, e efetue o corte de sua preferência, minutos antes do preparo. a forma ideal de corte, para que minimize a perda de nutrientes, é em pedaços grandes e com casca - tal procedimento não nos impede de descascá-la, conforme a indicação para a receita de hoje.

prolongar o tempo de cozimento, em altas temperaturas, com água abundante, reduz o aproveitamento das vitaminas hidrossolúveis contidas em sua composição.

cozida, assada, como patê, como antepasto [aqui ...], grelhada, em conserva, recheada ou refogada, são algumas formas ideais pro preparo da berinjela. fritá-la significa obter um resultado desagradável. por ser esponjosa, essa forma de preparo deixa-a encharcada de óleo, o que propicia a perda de grande parte de seus nutrientes, e o aumento do valor calórico em 4 vezes.
uma dica interessamte e pouco usual, é incluir a berinjela crua, com casca, cortada em pequenos pedaços, na salada de legumes.

farta em proteínas, a berinjela, não deve nada à carne, e tem a vantagem de ser pouco calórica. portanto, a receita a seguir, é um prato autêntico, e recheado de vantagens: leve, digestivo, nutritivo, diferente, delicado, sem culpa e muito saboroso.

ingredientes:

1 cebola picada
1 xícara - chá - de azeite
2 berinjelas grandes, sem casca cortadas em cubos
3 tomates maduros sem pele e picados
1 xícara - chá - de cogumelos picados
1 colher - sopa - de mostarda
2 colheres - sopa - de catchup light
1 colher - chá - de molho inglês
1/2 xícara - chá - azeitonas verdes picadas
1 lata de creme de leite light
ou
1 copo de iogurte natural desnatado
sal a gosto
1 maço salsinha picada
1 maço de cebolinha verde picada

preparando:

aqueça a panela, coloque o azeite, a cebola, e refogue até que a cebola comece a dourar. acrescente os tomates, os cubos de berinjela, e deixe cozinhar por 15 minutos. vigiando. mexendo. cuidando.
acrescente a cebolinha picada, as azeitonas, os cogumelos, a mostarda, o catchup, o molho inglês, e incorpore-os uns aos outros. deixe apurar por mais 3 minutos. coloque o creme de leite - ou iogurte desnatado - misture, desligue o fogo, salpique a salsinha.

como sugestão de acompanhamento, vai por mim ... arroz branco, salada de legumes cozidos, alguma verdura crua.
quer abusar??? coloca o strogonoff/stragonov dentro do pão italiano, faça dele um espetacular molho pra massa ou pro purê de batatas, ponha do lado dele uma boa porção de batatas sauté, ou enfeite qualquer das variações acima, com um bom tanto de batatas palha.

cheia de curiosidade, com plena consciência de que a verdade se perde pelo caminho com o passar do tempo, busquei, e encontrei alguns - 3 - relatos simples, sobre a origem do stroganov/strogonoff/estroganofe, [aqui ...], [aqui ...] e [aqui ...].

quarta-feira, 28 de julho de 2010

arroz, simples assim

vou, sim, ensinar uma receita de arroz, purinho, branquinho, sem nenhuma alegoria, pois, muita gente não sabe ou não acerta cozinhar o grão amigo de cada dia - no brasil é inimaginável uma mesa sem o arroz.
o arroz é um cultivo, fundamentalmente, asiático. no japão, o arroz é cultivado há muito tempo, aproximadamente 7.000 anos e nas filipinas, os arrozais de banaue, existem faz 2000 anos. os terraços para o cultivo do arroz em banaue, são enormes degraus esculpidos nas montanhas de ifugao, a 1500 metros acima do nível do mar, que se extendem por quase 11000 quilometros quadrados, e os filipinos referem-se a eles como a oitava maravilha do mundo. se os degraus fossem colocados lado a lado, cercariam metade do nosso planeta.
a plantação de arroz em terraços é uma das imagens mais confortantes e bonitas de olhar, e a planta dos arrozais é suave e agradável. a bela paisagem dos arrozais em terraços são para o planeta, uma inestimável herança ecológica.
tanto lá como cá, as formas de plantio variam. elas bailam entre o cultivo irrigado em terraços abertos, feitos em montanhas íngremes, o plantio e colheita com as mãos em lavouras irrigadas com o auxílio de baldes, cuja produção por hectare ultrapassa a brasileira, e a nossa, totalmente mecanizada.
o nosso país é o nono lugar na produção mundial de arroz irrigado e está no rio grande do sul, 85% da produção nacional.
a quase totalidade da população mundial sobrevive com o cultivo do arroz, seja como fonte de renda, trabalho ou alimento. o arroz é parte fundamental na cultura de muitos povos pros quais ele é razão de festejos, simboliza abundância, vida, fertilidade, artes plásticas, música, religião.
no japão, os arrozais, sustentam uma arte espetacular que pode ser vista aqui, em fotos batidas por um bloggueiro perdido no japão - o alexandre - que eu achei pra apresentar a vocês. abram o link - aqui - e leiam as legendas das fotos, que dizem como funciona essa maluquice de arte em arrozal.
japão, um país tão pequeno, com idéias tão colossais.
um pais como o japão, montanhoso, um arquipélago composto por pequenas ilhas, vive daquilo que retira da natureza, ou seja, peixe e arroz.
a melhor referência dessa combinação é o sushi, alimento delicioso preparado com aqueles dois ingredientes.
no princípio, o sushi consistia em deixar o peixe embrulhado no meio do arroz, durante meses, para fermentar. é desse processo que deriva o sushi que se come hoje. muitos restaurantes em tokyo ainda servem assim, o sushi original ou nare-sushi, feito com carpa de água doce. deixar de ser uma forma de conservação do peixe, e passar a quitute apreciado no mundo todo, aconteceu no início do século XX.
as receitas para o preparo do arroz variam de povo pra povo, de casa pra casa, depende de cada cultura, de cada gosto ou dos caminhos que elas percorrem para que sejam disseminadas.

medidas:
concha = sopa
colher = sopa

duas conchas de arroz. lave e deixe escorrer por uns 5 ou 10 minutos. ponha na panela com 2 colheres de óleo. deixe fritar, em fogo médio, até que fiquem sequinhos, soltos uns dos outros - eu chamo isso de pururuca. acrescente duas colheres, fartas, do meu tempêro. sinta o cheiro nessa hora ... é demais!!! refogue por uns 5 minutos, mexendo sempre, atentamente. coloque 4 conchas de água, fria, ou seja, 2 vezes cada tanto do que vc colocou de arroz. coloque um pequeno punhado de sal e experimente. ficou legal??? ótimo!!! ficou sem sal??? vá pondo aos poucos até ficar do seu gosto. deixe cozinhar com meia tampa e fogo médio até que quase seque. quando estiver quase seco, desligue, tampe a panela, enrole num pano e guarde no forno até servir. para um resultado melhor ainda, depois que refogar com o meu tempêro, antes da água, desligue o fogo e deixe descansar por uns 40 minutos. passado esse tempo, coloque a água e ligue o fogo, médio. o cheiro, durante o a fervura é delicioso.
é isso.