Mostrando postagens com marcador torta. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador torta. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 7 de março de 2014

torta/bolo de espinafre ... bem fácil!!!

limpe - aproveitando o máximo de folhas e talos que for possível aproveitar - e refoque, 2 maços de espinafre - frite uma cebola picada no azeite/óleo de ótima qualidade, sal e sazon.
não adicione água, o espinafre deve cozinhar em sua própria água. mantenha a panela em fogo alto e tampada, até ficar sequinho, ou seja, sem caldinho no fundo. certo???
deixe esfriar, e pique o espinafre. reserve.

faça a massa.

ingredientes:
12 colheres - sopa - de farinha de trigo, integral ou não, de centeio, de aveia ... como preferir
1 sache de caldo de galinha ou outro de sua preferência
3 ovos
1/2 de xícara - chá - de óleo de girassol
1 xícara - chá - de leite - se quiser, pode usar água
3 colheres - sopa - de queijo parmesão ralado
e/ou
150 g de queijo gorgonzola
1 colher - sopa - do meu tempero - receita, aqui!!!
1 colher - sopa - de fermento químico em pó

preparando:
unte e polvilhe com farinha, uma forma de buraco no meio, ou uma assadeira.
pré-aqueça o forno a 180º - ligue, e deixe o forno na temperatura máxima, por 10 minutos, só então baixe pra 180º.
deixe o fermento pra ser colocado por último. bata todos os ingredientes no liquidificador. leve a massa para uma travessa, acrescente o fermento, e misture até que ele se incorpore à massa.
em seguida junte o espinafre reservado. misture delicadamente.

leve ao forno pré-aquecido por 30 minutos, ou até que a massa esteja dourada, e o palito saia limpinho. sempre tendo em mente que, afinal, de homem/mulher e forno, cada um sabe do seu.

use a imaginação!!! invente!!! exagere!!! divirta-se!!!

abracadabra et, voilà!!!

terça-feira, 20 de agosto de 2013

torta de carne seca e creme de milho verde - massa de liquidificador

ingredientes do recheio de carne seca:
1 kg de carne seca - saiba como dessalgar/desfiar carne seca rapidamente
2 colheres - sopa - do meu tempero - a receita está aqui!!!
3 colheres de sopa de óleo de girassol
1 sache de sazon de bacon
1 xícara - chá - de salsa picada
4 tomates picados, sem pele e sem semente - substitua por tomates pelados em conserva, ou molho pronto pedaçudo
1 copinho de requeijão/220 g - de qualquer sabor

ingredientes do recheio de milho verde:
2 colheres - chá - de óleo de girassol
2 colheres - sopa - do meu tempero - a receita está aqui!!!
1 lata de milho verde com a água
250 ml de leite
1 envelope de creme de milho verde
1 caixinha de creme de leite

ingredientes da massa:
18 colheres - sopa - de farinha de trigo ou farinha de arroz - integral ou refinada
1 tablete de caldo de galinha ou outro de sua preferência
5 ovos
3/4 de xícara - chá - de óleo
3 xícaras de leite
150 g de queijo gorgonzola
2 colheres - sopa - do meu tempero - receita aqui!!!
1 1/2 colher - sopa - de fermento químico em pó

preparação e montagem:
pré-aqueça o forno, e unte a assadeira/pirex retangular/alta/grande - a lazanheira é ideal - com óleo. reserve.

prepare o recheio de milho verde:
bata no liquidificador a lata de milho com a água, o envelope de creme de milho verde, o leite. não lave o copo do liquidificador.
aqueça o óleo, acrescente o meu tempero, deixe dourar, abaixe o fogo, e junte os ingredientes batidos no liquidificador. deixe engrossar, acrescente o creme de leite. reserve.

prepare o recheio de carne seca:
o primeiro passo é dessalgar e desfiar a carne seca - saiba como, de maneira rápida e fácil, aqui!!!
numa panela, doure o meu tempero, coloque a carne seca preparada, refogue. acrescente o tomate picado sem pele e sem semente, misture bem, acrescente o sache de sazon de bacon, e meio litro de água. deixe ferver, deixe apurar/reduzir - 15/20 minutos, um pouco mais, um pouco menos, depende do fogão - acrescente o requeijão, e depois a salsa picada, e misture bem. desligue o fogo. reserve.

preparando a massa:
os ingredientes da massa devem ser batidos no mesmo copo do liquidificador não lavado, no qual foram batidos os ingredientes do recheio de milho. acrescente os ingredientes da massa alternadamente, começando pelos líquidos, e finalizando com o fermento.


tudo pronto, só resta acamar massa e recheios na ordem:
  1. metade da massa
  2. recheio de milho verde
  3. recheio de carne seca
  4. metade restante da massa

dica do blogg: já misturei ao recheio de carne seca, pronto, escarola refogada no alho e óleo. fica dos d'uses!!!

use a imaginação!!! exagere!!! divirta-se!!!

abracadabra et, voilà!!!

requeri/regina claudia

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

torta de arroz


ingredientes pra massa:

2 1/2 xícaras - chá - de arroz cozido
1/2 xícara - chá - de leite
1/2 lata de creme de leite sem soro 3 gemas
3 claras em neve
salsinha picada

ingredientes pro recheio:

150g de presunto picado miúdo ou ralado
150g de muçarela ralada
250g de requeijão

preparando:
ligue o forno a 180°.
unte uma assadeira - pode ser assadeira retangular, redonda ou forma de buraco no meio.
numa vasilha, misture o recheio. reserve.
bata no liquidificador o arroz cozido, o leite, o creme de leite e as gemas.
coloque a massa numa tigela, e misture com as claras em neve e com a salsinha, delicadamente.
na forma untada coloque metade dessa massa, espalhe o recheio e cubra com a outra metade da massa.
leve para assar até que a superfície fique dourada.
sirva com salada ... muita salada!!!

varie o recheio utilizando frango desfiado, carne moída, legumes picados e refogados, peito de peru, vários queijos com molho de tomate, salsicha, salmão ou outro peixe sem espinha, ... ou acrescente outros ingredientes ao presunto, muçarela e requeijão.

abracadabra et, voilà!!!
requeri/regina claudia

terça-feira, 22 de maio de 2012

torta de liquidificador, de presunto, muçarela e creme de milho

alimentar é a mais primitiva e eficiente demonstração de amor.
alimentar é um ato convivente e uma boa torta se presta a isso, conviver, convidar, convivas, bom sabor, boa convivência.
venho com mais esta invenção culinária, pra tornar ocupadas as bocas, fechando com o prazer e com a plenitude do sabor. na minha dimensão, a cozinha é outro país, e me permite viagens ótimas, em meio a geografias de intermináveis planícies, históricas e ricas em simbolismos, uma alegria dopada, uma alegria a cores, cheiros e sabores.

a minha grande contribuição será, pra sempre, juntar ingredientes e festejar, à minha moda, silenciosamente - será que eu consigo??? - criando, cozinhando, alimentando.


"o prazer de comer é, desde há muitos séculos, na nossa cultura, um prazer convivial: um prazer que se gosta de usufruir em comum. pode-se comer só e beber só quando se é a isso constrangido para satisfação da necessidade de matar a fome e matar a sede, mas a procura da voluptuosidade do paladar em solitário é um vício que a moral condena. as sociedades utilizam os prazeres da vida para estabelecer ou fortalecer os laços sociais e na maior parte das sociedades a refeição partilhada é um instrumento de sociabilidade. a refeição deverá ser uma celebração, uma festa onde o prazer se divide entre as pessoas. prazer de matar a fome, alegria por tomar contacto com um prato e honrar uma receita necessariamente sacralizada, e de ver os outros comungar com a mesma exaltação.
foi com exaltação e muito prazer que reparti mesa e mantel com todos os meus convidados presentes nesta recolha.
amizades, afinidades e simpatias proporcionaram-me refeições de memória e é dessa memória que aqui dou conta.” nos disse,
alfredo saramago.

o que sabemos sobre a torta?
o bolo é uma preparação de alimento assado em forma redonda, cujo nome originalmente é descrito como um pão círcular - torta em latim.
a torta é feita com uma crosta de massa enfeitada recheada com uma mistura de carne bovina, de aves, de peixe ou legumes temperada com ervas e ingredientes complementares ou doce, com frutas e creme.
a cobertura é uma redução da mesma massa formando uma capa. mas há aquelas sem tampa, as tortas com bordas elevadas.
tortas se prestam a adaptações, e variadas maneiras de fazer. são versáteis, completas, ricas.
na cozinha medieval -
leia [...] - e do renascimento foi uma receita das mais comuns. redondas, decorativas e grandes, recheadas com carne de ovelha, de bovino, de porco ou com especiarias e uvas passas, recortadas nas bordas e enfeitadas com bandeiras e brasões dos convidados.

o que se diz é que torta é feita em forma redonda e que em forma retangular não é torta. mas, a sabedoria popular mudou esse conceito. torta é todo alimento feito de massa, que ganha recheio, e que vai ao forno para assar/cozinhar.
a receita a seguir é uma variação com massa líquida, prática, feita no liquidificador. 



nota do blogg: sem o recheio, e assado em forma de buraco no meio, esta receita se presta a virar um versátil e delicioso bolo salgado. apresente um café fresquinho, e as fatias quentinhas vão querer uma porção de manteiga, requeijão, margarina, ...

medidas:
colher = sopa
xícara = chá

convidados sempre esbanjam energia. estão alegres pelo convite, pela companhia, pela quebra de rotina ... mas tenho um defeito, com ou sem convidados, não sei cozinhar pra pouca boca. as minhas receitas são enormes e, como sempre, pensei numa receita grande que, portanto, precisa de espaço. aconselho o uso de uma assadeira de vidro conhecida como lazanheira
descrita aqui.

aqueça o forno a 180 graus. unte a assadeira com óleo. reserve.

primeiro recheio:

1 colher de margarina ou manteiga
1 colher do meu tempero -
a receita está aqui
1 lata de milho verde batido com a água
250 ml de leite
um pacotinho de creme de milho verde - a sopa de pacotinho
1 caixinha de creme de leite

segundo recheio:

800 g de presunto e muçarela - 400 g de cada, ambos ralados ou cortados miudamente
azeite
2 colheres do meu tempero -
a receita está aqui
200 gramas de molho de tomate, pronto
1 colher rasa de oregano
azeitonas verdes, sem caroço, cortadas em rodelas

a massa:

18 colheres de farinha de trigo - uso uma mistura de farinha de trigo integral, 
farinha de trigo refinada e farinha de aveia 
1 tablete de caldo de galinha ou outro de sua preferência
5 ovos
3/4 de xícara de óleo
3 xícaras de leite
4 colheres de queijo parmesão ralado ou 150 g de queijo gorgonzola
2 colheres do meu tempero -
a receita está aqui - ou 1 cebola pequena e 3 dentes de alho
1 e 1/2 colheres de fermento químico

confecção e montagem:

prepare o primeiro recheio: bata no liquidificador o milho, o creme de milho e o leite. não lave o copo do liquidificador. reserve.
aqueça o azeite e a margarina - em dupla, evita que a manteiga ou a margarina queimem - acrescente o meu tempero, deixe fritar sem escurecer, abaixe o fogo, e acrescente o creme contido no liquidificador, deixe engrossar, acrescente o creme de leite. reserve.

o segundo recheio: numa panela, esquente o azeite e refogue o
meu tempero, acrescente o orégano, misture, acrescente as azeitonas, misture, acrescente o molho, misture e refogue por mais 3 minutos. reserve deixando esfriar.
noutra vasilha misture presunto ralado, muçarela ralada e o molho refogado, reservado, já esfriado.
os ingredientes da massa devem ser batidos no mesmo liquidificador, não lavado, no qual foi batido o milho - truquezinho culinário benfazejo. alterne os ingredientes, começando pelos líquidos. mas, ao colocar o fermento, agregue-o à massa misturando com uma batida rápida - uns 30 segundos.

feito isto resta acamar, massa e recheios, na ordem:

leve para assar no forno pré-aquecido. o tempo, depende de cada forno. forno é feito marido, cada uma sabe do seu. pra não errar, a partir dos 40 minutos, espete a faca. quando sair limpinha, a torta está assada.

não se acanhe e ponha na conta dos convivas, a coca-cola - zero ou original - ou a cerveja. bebericos essenciais pra o momento.

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

torta de sardinha

preparando os ingredientes:
250 gramas de pão - francês amanhecido ou de forma, integral, de grãos, qualquer um de sua preferência
1 litro de caldo de legumes 0% de caloria
2 cebolas grandes picadas
umedeça o pão no caldo. reserve.
frite a cebola e acrescente 3 colheres - sopa - de massa de tomate.
bata 2 ovos, inteiros, como se fosse pra fazer omelete. reverve.
numa vasilha, esfarele 3 latas de sardinha em seu óleo, misture 1 lata de ervilhas e 1 copo de azeitonas verdes picadas. misture bem, sem deixar que as ervilhas desmanchem. junte a mistura ao refogado de cebola e massa de tomate. misture e refogue para incorporar todos os ingredientes. reserve. deixe esfriar.

importante e digno de atenção: a ervilha pode ser substituída por 2 abobrinhas médias, raladas. eu prefiro assim. neste caso, rale-as e refogue com a cebola e a massa de tomate. tome cuidado, pois, a abobrinha cozinha rápido. em seguida, proceda como com a ervilha.

escorra o pão numa peneira para eliminar o excesso de caldo. acrescente o pão escorrido ao refogado, misture, acrescente os 2 ovos batidos, e misture tudo muito bem.
religue o fogo. mexendo sempre, espere até que apareça o fundo da panela, sem deixar grudar.
coloque a massa numa forma untada com óleo, no forno pré-aquecido em temperatura quente - 210 graus - por 30/40 minutos.
retire do forno, deixe esfriar, e leve na geladeira por 2 horas. desenforme.
coma gelado - delícia!!! - com salada verde.
se preferir, coma quente. para desenformar, deixe reduzir a quentura.

abracadabra et, voilà!!!
requeri/regina claudia

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

torta de abacaxi

o rei das frutas nos pertence, é tropical, é uma bromélia, se reproduz o ano todo, e tem a samambaia como parente próximo.
sua flores roxo-purpúreas reunidas, quando abertas´, perdem as pétalas e as sépalas, junto com outras partes da sua inflorescência, e soldam-se, dando origem ao fruto saboroso do qual se aproveita, absolutamente, tudo!!!
o abacaxi é refresco, doçura e acidez, nutrição, alívio na bronquite, no resfriado e na gripe, ajuda na formação dos ossos e é pura energia.

leia mais: aqui, aqui, e aqui
benefícios do suco de abacaxi

mas, como ninguém é de ferro, e pra saudar o final de semana, a receita de hoje aqui no blogg é uma torta de abacaxi que se come geladinha.

ingredientes do creme:
1 lata de leite condensado - pode utilizar o light
1 lata de creme de leite - pode utilizar o light
1/2 litro de leite
3 gemas peiradas - não ajude com uma colher. fure a gema com um palito, e deixe-a escorrer naturalmente.
2 colheres - sopa - de amido de milho

outros ingredientes:
1 lata de abacaxi em calda cortado em cubos - reserve a calda
vinho branco suave
300g de biscoito inglês ou maizena
coco ralado
chocolate branco ralado
nozes moídas

preparando:
faça um creme: misture o leite condensado, o leite, as gemas e o amido de milho. leve ao fogo para engrossar mexendo, para não empelotar.
quando engrossar, retire do fogo e acrescente o creme de leite.
monte a torta em uma travessa, em camadas:
  1. todo o biscoito regado com a calda de abacaxi e/ou vinho branco suave
  2. creme
  3. pedaços de abacaxi
  4. creme
  5. pedaços de abacaxi
  6. creme
  7. sobre a última camada de creme, a cobertura, você escolhe entre: nozes moídas, coco ralado, chocolate branco ralado, pedaços de abacaxi ou todo mundo junto.

abracadabra et, voilà!!!
requeri/regina claudia

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

massa para torta com iogurte

tendo publicado a receita anterior, senti necessidade de divulgar duas receitas de massa para torta, que são um diferencial de qualidade.

as duas massas são com iogurte, ingrediente que lhes acrescenta uma textura especial e um sabor muito agradável.

primeira receita - massa líquida:
ingredientes:
12 colheres - sopa - de farinha de trigo integral
1 sache de caldo de galinha ou outro de sua preferência
3 ovos
1/2 de xícara - chá - de óleo
1 xícara - chá - de leite
1 xícara - chá - de iogurte desnatado ou natural
3 colheres - sopa - de queijo parmesão ralado
ou
150 g de queijo gorgonzola
1 colher - sopa - do meu tempero - receita, aqui
1 colher - sopa - de fermento químico em pó

preparando:
deixe o fermento por último. bata todos os ingredientes no liquidificador. em seguida, acrescente o fermento, misture com uma colher, e bata rapidamente, em velocidade mínima, para misturar. reserve.
prepare o recheio de sua preferência, derrame metade da massa sobre refratário untado com óleo, espalhe o recheio, cubra com o restante da massa, e leve ao forno pré-aquecido por 30 minutos, ou até que a massa esjeja dourada.

segunda receita - massa de abrir:
ingredientes:
1 colher - sobremesa - de fermento em pó
1 pote de iogurte desnatado - pode ser o natural
1 colher - sobremesa - de sal
3 xícaras (chá) de farinha de trigo
200g de margarina sem sal em temperatura ambiente
2 gemas

preparando:
numa travessa, colocar a farinha de trigo o sal, o fermento, o iogurte, as gemas, a margarina, e misturar. amassar delicadamente, sem sovar, até desgrudar das mãos.
forrar uma forma com a massa. furar com um garfo, toda sua superfície e as laterais. espalhar o recheio , cobrir com o restante da massa, pincelar com gema dissolvida em um fio de óleo de canola, e assar em forno médio - 180º - por 20 minutos.

abracadabra et, voilà!!!

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

torta de cebola

- faça a massa -
misturar:
1 1/2 xícara - chá - de amido de milho
1 xícara - chá - de farinha de trigo integral
1 pitada de sal
juntar 2/3 de xícara - chá - de margarina - 2/3 de xícara de chá pode ser substituída por 10 colheres das de sopa mais 2 colheres das de chá
3 gemas
misturar estes ingredientes, amassar com a ponta dos dedos, até obter uma massa homogênea - precisa ser feito com a ponta dos dedos, delicadamente, para que a massa não fique elástica na hora de abrir.
depois de misturado, tudo junto, agregado, faça uma bola e deixe descansar enquanto prepara o recheio. no mínimo, por 10 minutos.
enquanto isso, ...

- faça o recheio -
aqueça o forno em temperatura média.
doure, em 3 colheres - sopa - de margarina, e 1 colher - sopa - de azeite de oliva, 1 kg de cebolas cortadas em rodelas finas.
tempere com um sache de caldo de legumes, e noz moscada em pó. deixe a cebola al dente.
deixe esfriar.
à parte bata 4 ovos, junte as claras que sobraram da massa, acrescente 1 colher - sopa - de amido de milho dissolvido em 1 1/2 xícaras - chá - de leite.
junte essa mistura à cebola refogada.
abra a massa e forre uma assadeira untada com margarina. fure o fundo e as laterais da massa com o auxílio de um garfo, para que não estufe.
despeje o recheio sobre a massa. polvilhe com queijo parmesão ralado ou queijo gorgonzola esfarelado.
asse por, mais ou menos, 25 minutos. teste o cozimento do recheio.

é isso.
requeri/regina claudia

sábado, 10 de setembro de 2011

torta de ricota


a ricota não derrete. aí está uma diferença entre a ricota e os queijos. aquecida, a ricota não derrete.

de origem italiana - ricotta - a ricota é produzida a partir do soro do leite de vaca ou a partir do soro do leite de ovelha. trata-se da separação das partes, líquida e sólida, conseguidas através do processo da coagulação do leite. por isso, a ricota não é um queijo.
a ricota tem baixo teor de gordura e alto teor de soro-proteínas, mais nutritivas que as proteínas dos queijos. a ricota deve ser firme, nunca sólida, não pode esfarelar, e deve derreter na boca.
passe ao largo das ricotas com textura granulosa, arenosa ou umida demais.

a receita de hoje é a torta de ricota da tia helena. coisa de família, festejada por todos.

pré-aqueça o forno em temperatura média, bata 4 claras em neve, e unte uma assadeira redonda com margarina e farinha de rosca.

bata no liquidificador:
1 lata de leite condensado
a mesma medida de leite de vaca, ou seja, basta utilizar a lata de leite condensado como medida
2 colheres cheias - sopa - de amido de milho
5 colheres cheias - sopa - de açúcar cristal
4 gemas
500g de ricota fresca triturada com garfo

depois dos ingredientes bem batidos, passe para uma tigela e acrescente as 4 claras batidas em neve, 1 colher - chá - de baunilha, e raspas de 1 limão.
misture tudo muito bem, despeje na assadeira untada, e leve para assar no forno previamente aquecido.

acompanham esta torta, os vinhos de sobremesa, vinho do porto, vinho doce ou suave, ou o suco de laranja.

a cada porção, acrescente umas boas colheradas de ...
geléia de frutas vermelhas:
6 xícaras - chá - de frutas vermelhas
2 xícaras - chá - de açúcar cristal ou açúcar light
ou
1 xícara de açúcar light
1 colher - sobremesa - de suco de limão
coloque tudo numa panela e cozinhe em fogo baixo. deixe dar o ponto - ao passar a colher aparece o fundo da panela.

requeri/regina claudia

é isso.

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

torta de ameixas pretas e nozes



ameixa, colorida, nutritiva, antioxidante, energética, vitaminada ... poderosa!!!

reputação, imagem são valores a serem preservados com extremo cuidado.
na culinária, a reputação de alguns elementos se mantém, desde sempre, intocável.
nesta publicação do blogg, a torta e o seu principal ingrediente, a ameixa, pertencem à categoria de exemplares, entre tantos.
as ameixas, por exemplo, contêm, em sua composição, um elemento químico que estimula os músculos do intestino, e funciona como um laxante fraco.
como fonte de fibra solúvel, ela ajuda a prevenir a prisão de ventre evitando, no mínimo, desconforto.
além disso ela protege o coração, pois, ajuda a reduzir os níveis de colesterol ruim, e regula a pressão arterial.
a torta, por sua vez, é um dos alimentos mais cobiçados e desejados, seja onde for.
o topo do blogg é inspirado nessa iguaria, por acreditar que torta é sinônimo de prazer na hora das refeições, seja como prato principal, seja como sobremesa, acompanhada de chá, a qualquer hora do dia.

sintam o poder da torta de ameixas e nozes, que escolhi para hoje.

ingredientes:
250g de manteiga sem sal
2 1/2 copos de farinha de trigo - integral, de preferência, é mais saudável e o resultado é excelente
1 copo de açúcar - costumo usar açúcar light, na proporção indicada pelo fabricante, ou açúcar mascavo, na quantidade original, ou seja, 1 copo
1 ovo
1 colher - sopa - de fermento em pó
500g de ameixas pretas, secas, sem caroço
300g de nozes picadas
1 gema misturada a uma colher - sobremesa - de óleo, para pincelar

preparando:
hidrate as ameixas, em um recipiente com 1 copo d'água, por 30 minutos.
unte uma forma própria para assar torta, com manteiga e farinha de trigo.
pré-aqueça o forno em temperatura quente.
bata a manteiga, o açúcar e o ovo.
aos poucos, acrescente a farinha. junte o fermento em pó. amasse, até obter uma massa lisa e homogênea.
deixe a massa descansar por uma hora.
prepare o recheio picando escorrendo muito bem as ameixas hidratadas e misturando-as com as nozes, também, picadas.
passado o tempo de descanso da massa, divida-a em 2 partes.
com uma delas forre a forma untada, estendendo e pressionando com as mãos.
coloque o recheio sobre a primeira metade da massa, e cubra com a outra metade, abrindo-a com cuidado e estendo-a sobre o recheio.
faça cortes na torta ainda crua, formando quadrados de 5cm.
pincele os quadradinhos com a gema misturada ao óleo.
leve ao forno pré-aquecido por, mais ou menos, 25 minutos, ou até que a superfície da torta esteja dourada.

é isso.
requeri/regina claudia

terça-feira, 19 de abril de 2011

torta de salmão ... simples assim


alimentar, a mais primitiva e eficiente demonstração de amor.
alimentar é um ato convivente e uma boa torta se presta a isso, conviver, convidar, convivas, bom sabor, boa convivência.
um feriadão, e eu me arrisquei numa outra invensão culinária, pra tornar ocupadas as bocas, fechando com o prazer e com a plenitude do sabor. na minha dimensão, a cozinha é outro país, e me permite viagens ótimas, em meio a geografias de intermináveis planícies, históricas e ricas em simbolismos, uma alegria dopada, uma alegria a cores, cheiros e sabores. a minha grande contribuição foi juntar ingredientes e festejar, à minha moda, silenciosamente, criando, cozinhando, alimentando.

"o prazer de comer é, desde há muitos séculos, na nossa cultura, um prazer convivial: um prazer que se gosta de usufruir em comum. pode-se comer só e beber só quando se é a isso constrangido para satisfação da necessidade de matar a fome e matar a sede, mas a procura da voluptuosidade do paladar em solitário é um vício que a moral condena. as sociedades utilizam os prazeres da vida para estabelecer ou fortalecer os laços sociais e na maior parte das sociedades a refeição partilhada é um instrumento de sociabilidade. a refeição deverá ser uma celebração, uma festa onde o prazer se divide entre as pessoas. prazer de matar a fome, alegria por tomar contacto com um prato e honrar uma receita necessariamente sacralizada, e de ver os outros comungar com a mesma exaltação.
foi com exaltação e muito prazer que reparti mesa e mantel com todos os meus convidados presentes nesta recolha.
amizades, afinidades e simpatias proporcionaram-me refeições de memória e é dessa memória que aqui dou conta.” disse,
alfredo saramago.

o que sabemos sobre a torta?
o bolo é uma preparação de alimento assado em forma redonda, cujo nome originalmente é descrito como um pão círcular - torta em latim.
a torta é feita com uma crosta de massa enfeitada recheada com uma mistura de carne bovina, de aves, de peixe ou legumes temperada com ervas e ingredientes complementares ou doce, com frutas e creme.
a cobertura é uma redução da mesma massa formando uma capa. mas há aquelas sem tampa, as tortas com bordas elevadas.
tortas se prestam a adaptações, e variadas maneiras de fazer. são versáteis, completas, ricas.
na cozinha medieval -
leia [...] - e do renascimento foi uma receita das mais comuns. redondas, decorativas e grandes, recheadas com carne de ovelha, de bovino, de porco ou com especiarias e uvas passas, recortadas nas bordas e enfeitadas com bandeiras e brasões dos convidados.

o que se diz é que torta é feita em forma redonda e que em forma retangular não é torta. mas, a sabedoria popular mudou esse conceito. torta é todo alimento feito de massa, que ganha recheio, e que vai ao forno para assar/cozinhar.
a receita a seguir é com massa líquida, prática, feita no liquidificador que, sem o recheio, e assado em forma de buraco no meio, se presta a virar um versátil e delicioso bolo salgado. apresente um café fresquinho, e as fatias quentinhas vão querer uma porção de manteiga, requeijão, margarina, ...

medidas:
colher = sopa
xícara = chá

convidados sempre esbanjam energia. estão alegres pelo convite, pela companhia, pela quebra de rotina ... mas tenho um defeito, com ou sem convidados, não sei cozinhar pra pouca boca. as minhas receitas são enormes e, como sempre, pensei numa receita grande que, portanto, precisa de espaço. aconselho o uso de uma assadeira de vidro conhecida como lazanheira
descrita aqui.

aqueça o forno a 180 graus. unte a assadeira com óleo. reserve.

primeiro recheio:

1 colher de margarina ou manteiga
1 colher do meu tempero -
a receita está aqui
1 lata de milho verde batido com a água
250 ml de leite
um pacotinho de creme de milho verde - a sopa de pacotinho
1 caixinha de creme de leite

segundo recheio:

800 g de salmão, limpo, sem a pele, cortado em cubos
azeite
2 colheres do meu tempero -
a receita está aqui
200 gramas de molho de tomate, pronto
1 colher rasa de oregano
azeitonas verdes, sem caroço, cortadas em rodelas

a massa:

18 colheres de farinha de trigo - autorizada a farinha integral na mesma quantidade
1 tablete de caldo de galinha ou outro de sua preferência
5 ovos
3/4 de xícara de óleo
3 xícaras de leite
4 colheres de queijo parmesão ralado ou 150 g de queijo gorgonzola
2 colheres do meu tempero -
a receita está aqui - ou 1 cebola pequena e 3 dentes de alho
1 e 1/2 colheres de fermento químico

confecção e montagem:

prepare o primeiro recheio: bata no liquidificador o milho, o creme de milho e o leite. não lave o copo do liquidificador. reserve.
aqueça o azeite e a margarina - em dupla, evita que a manteiga ou a margarina queimem - acrescente o meu tempero, deixe fritar sem escurecer, abaixe o fogo, e acrescente o creme contido no liquidificador, deixe engrossar, acrescente o creme de leite. reserve.
o segundo recheio: numa panela, esquente o azeite e refogue o
meu tempero, acrescente o orégano, misture, acrescente as azeitonas, misture, acrescente o molho, misture e refogue por mais 3 minutos. acrescente o peixe, misture, espere começar a ferver, e deixe cozinhar por 10 minutos com a penela tampada e o forno brando. reserve.
os ingredientes da massa devem ser batidos no mesmo liquidificador, não lavado, no qual foi batido o milho - truquezinhos culinários benfazejos - alternando os ingredientes, e começando pelos líquidos. mas, ao colocar o fermento, agregue-o à massa misturando com uma colher e dê, apenas, uma batida rápida - 30 segundos.

feito isto resta acamar, massa e recheios, na ordem:

leve para assar no forno pré-aquecido. o tempo, depende de cada forno. forno é feito marido ou mulher, cada um sabe do seu. pra não errar, a partir dos 40 minutos, espete a faca. quando sair limpinha, a torta está assada.

não se acanhe e ponha na conta dos convivas, a coca-cola - zero ou original - ou a cerveja. bebericos essenciais pra esse momento.

terça-feira, 28 de setembro de 2010

prepare você um delicioso e prático requeijão cremoso


dentre muitas utilidades nas quais ela se encaixa - esta massa para torta, por exemplo - a receita a seguir pode ser preparada por você, e o resultado estará muito próximo ao do requeijão industrializado, da marca catupiry.

quem entra na panela???
1 litro de leite
1 xícara de chá de amido de milho
200 g de queijo ralado
200 g de ricota amassada
250 g de muçarela ralada
3 colheres de sopa de margarina
1 lata de creme de leite

como se comportam???
numa panela, coloque todos os ingredientes, menos o creme de leite.
em fogo baixo, e sempre mexendo, deixe engrossar.
verifique o sal, retire do fogo e deixe esfriar. já frio, junte o creme de leite, armazene em recipientes com tampa e guarde na geladeira.

é isso.



abracadabra et, voilà!!!

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

torta de abobrinha com atum ... esta é uma delícia, e fácil de preparar ...


de maio a dezembro, é possível contar com um dos vegetais mais bem sucedidos nas cozinhas do planeta.
a abobrinha nos ajuda crescer - vitaminas do complexo b - faz bem à visão - vitamina a - além de conter fósforo, ferro e celulose.
ela detém um bom tanto de benefícios pro sangue, dentes, intestinos, ossos, sistema nervoso.
sendo firmes, sem machucados e brilhantes, as grandes podem fazer parte de pratos variados. use-as, com casca, em rodelas, picadas, raladas, ...
pequenas ficam excelentes quando recheadas. qualquer dia desses ensino, como e com qual ingredientes, as abobrinhas podem ser recheadas.
dos dois tipos mais comuns, a brasileira e a italiana, a mais consumida no brasil é a italiana.
alongada e listrada de verde, escuro e claro, ela possui, apenas, 19 calorias a cada 100g. digere facilmente e pode ser aproveitada desde a casca, até a semente.

a receita de hoje envolve a abobrinha italiana.
antes de tudo, ligue o forno a 180graus.
unte, com óleo, uma assadeira grande.

para a massa, coloque em uma travessa:
8 colheres de sopa de farinha de trigo integral - ou branca
4 colheres de sopa de amido de milho
4 ovos
1 xícara de chá de óleo de canola
sal, ou saquinhos de caldo de legumes sem calorias a seu gosto
misture tudo muito bem, e reserve.

deixe de lado, uma colher de fermento químico em pó. assim que os próximos ingredientes estiverem bem misturados, antes de juntá-los à primeira mistura, acrescente a ela, a colher do fermento.

em outra travessa misture:
3 abobrinhas inteiras, grandes, picadinhas
4 tomates, sem pele, picadinhos
uma lata de atum light - sem óleo
5 colheres de sopa de queijo parmesão ralado ou a mesma medida de queijo gorgonzola esfarelado
300g de presunto picado
orégano
1/2 xícara de azeite de oliva
salsinha e/ou cebolinha picadinhas
misture tudo, muito bem.

agora sim, acrescente o fermento à primeira mistura, mexa com cuidado, até que o fermento incorpore à massa e una as duas misturas mexendo, delicadamente, muito bem, até que os ingredientes fiquem bem agregados.

leve para assar na assadeira previamente untada, até que, espetando uma faca ou palito, eles saiam limpos.

é isso.

felizes e bem alimentados.

requeri/regina claudia

terça-feira, 14 de setembro de 2010

massa pra torta com catupiry


catupiry, - requeijão cremoso - em sampa, é sinônimo de receitas exemplares, a começar das de pizza.
a fórmula secreta do catupiry foi criada em 1911, em lambari/mg, por um casal de imigrantes italianos.
de lá pra cá, ela passou por transformações, mas ... catupiry, é catupiry!!! sendo o autêntico, ...

a primeira fábrica foi instalada na barra funda/av. rudge/218, e era fácil chegar ali, para comprar, na lojinha, quantas embalagens quisesse, do delicioso queijo cremoso.
as caixinhas de madeira, tentadoramente colecionáveis são amplamente utilizadas como guarda trecos, nas casas das melhores famílias paulistanas. hoje a caixinha virou artefato cult na sociedade brasileira, e pode ser adquirida na lojinha da fábrica.
então, vamos lá!!!
quem conseguir chegar à fábrica do catupiry, para fazer compras na lojinha, vai encontrar uma lanchonete ótima, abarrotada de tranqueiras comestíveis, todas feitas à base daquele objeto dos desejos das mais secretas gulodices.
indo até lá, dá pra ter certeza de que a esmagadora maioria daquelas plaquinhas com os dizeres: aqui usamos catupiry original, não passa de intriga da oposição. o verdadeiro catupiry é aquele entranhado nos produtos daquela lojinha, fresquinhos e autenticamente deliciosos.
eles vendem todos os produtos que fabricam, vendem a caixinha de madeira, e mais uma variedade de tentadores alimentos, além de produtos de outros fabricantes: manteiga, doces, mussarela de búfala, sorvetes, temperos, ...

a culinária, atividade que nos dá a oportunidade de criar qualquer comilança, conta com uma receita excelente de massa pra torta feita com catupiry.


copie:
amasse um queijo catupiry com
250 g de manteiga
1/2 k de farinha de trigo - pode ser branca ou integral
1 colher de sobremesa de fermento químico
sal a gosto
orégano

utilize:
ligue o forno em temperatura média.
use uma forma desmontável, ou uma assadeira que possa ir à mesa.
quando a massa estiver lisa e uniforme, divida-a em duas partes. com uma delas, e com a ajuda das mãos, forre uma forma, preencha com o recheio de sua preferência - pode ser uma mistura feita com presunto, mussarela, molho de tomate, orégano - cubra com a outra parte, pincele com uma gema dissolvida em uma colher de sobremesa de óleo, e leve ao forno.
sirva na própria forma/assadeira.

é isso.

requeri/regina claudia


quarta-feira, 28 de julho de 2010

torta, pie, tourte, tarte, ...

alimentar, a mais primitiva e eficiente demonstração de amor.
alimentar é um ato convivente e uma boa torta se presta a isso, conviver, convidar, convivas.
um feriadão, plena sexta-feira de julho, férias, final da copa do mundo, me arrisquei numa outra invensão culinária, pra tornar ocupadas as bocas de alguns torcedores que insistem em praticar uma vuvuzelada derradeira, fechando com o prazer e com a plenitude do sabor.

essa viagem à áfrica, em meio a geografias de intermináveis planícies, estádios modernos, históricos e ricos simbolismos, uma alegria dopada, uma alegria a cores, enganou meus sentidos.
loucura essa áfrica do sul e seu povo. produz festas tão boas na pulsação essencial e rústica, que me carregaram pra dentro das linhas melódicas dos batuques originais ornados pelo zumbido das vuvuzelas. porra!!! os caras não estão de brincadeira. eles sabem festejar.
a minha grande contribuição foi juntar ingredientes e festejar à minha moda, silenciosamente, criando, cozinhando, alimentando.


“o prazer de comer é, desde há muitos séculos, na nossa cultura, um prazer convivial: um prazer que se gosta de usufruir em comum. pode-se comer só e beber só quando se é a isso constrangido para satisfação da necessidade de matar a fome e matar a sede, mas a procura da voluptuosidade do paladar em solitário é um vício que a moral condena. as sociedades utilizam os prazeres da vida para estabelecer ou fortalecer os laços sociais e na maior parte das sociedades a refeição partilhada é um instrumento de sociabilidade. a refeição deverá ser uma celebração, uma festa onde o prazer se divide entre as pessoas. prazer de matar a fome, alegria por tomar contacto com um prato e honrar uma receita necessariamente sacralizada, e de ver os outros comungar com a mesma exaltação.
foi com exaltação e muito prazer que reparti mesa e mantel com todos os meus convidados presentes nesta recolha.
amizades, afinidades e simpatias proporcionaram-me refeições de memória e é dessa memória que aqui dou conta.” disse, alfredo saramago.

o que sabemos sobre a torta?
o bolo é uma preparação de alimento assado em forma redonda, cujo nome originalmente é descrito como um pão círcular - torta em latim.
a torta é feita com uma crosta de massa enfeitada recheada com uma mistura de carne bovina, de aves, de peixe ou legumes temperada com ervas e ingredientes complementares ou doce, com frutas e creme.
a cobertura é uma redução da mesma massa formando uma capa. mas há aquelas sem tampa, as tortas com bordas elevadas.
tortas se prestam a adaptações, e variadas maneiras de fazer. são versáteis, completas, ricas.
na cozinha medieval - leia [...] - e do renascimento foi uma receita das mais comuns. redondas, decorativas e grandes, recheadas com carne de ovelha, de bovino, de porco ou com especiarias e uvas passas, recortadas nas bordas e enfeitadas com bandeiras e brasões dos convidados.

o que se diz é que torta é feita em forma redonda e que em forma retangular não é torta. mas, a sabedoria popular mudou esse conceito. torta é todo alimento feito de massa recheada que vai ao forno para cozinhar.
aqui e agora, a receita da massa é líquida, prática, feita no liquidificador que, sem o recheio, se presta a virar um delicioso bolo salgado e simples, se assado na forma de buraco no meio. apresente um café fresquinho, e as fatias quentinhas vão querer uma porção de manteiga, requeijão, margarina, ...

medidas:
colher = sopa
xícara = chá

convidados sempre esbanjam energia. estão alegres pelo convite, pela companhia, pela quebra de rotina ... mas tenho um defeito, com ou sem convidados, não sei cozinhar pra pouca boca. as minhas receitas são enormes e, como sempre, pensei numa receita grande que, portanto, precisa de espaço. aconselho o uso de uma assadeira de vidro conhecida como lazanheira descrita aqui.

recheio primeiro:
1 colher de manteiga
azeite 1 colher do meu tempero - a receita está aqui
1 lata de milho verde batido com a água
250 ml de leite
1 pacotinho de creme de milho verde
1 caixinha de creme de leite

recheio segundo:
550 g de muçarela picada
500 g de presunto picado
240 g de molho de tomate - costumo usar uma embalagem de molho pronto, sabor pizza

a massa:
18 colheres de farinha de trigo
1 tablete de caldo de galinha ou outro de sua preferência
5 ovos
3/4 de xícara de óleo
3 xícaras de leite
4 colheres de queijo parmesão ralado ou 150 g de queijo gorgonzola
2 colheres do meu tempero - a receita está aqui - ou 1 cebola pequena e 3 dentes de alho
1 e 1/2 colheres de fermento químico

confecção e montagem:
ligue o forno, e unte a assadeira com azeite. reserve.

prepare o primeiro recheio: bata no liquidificador o milho, o creme de milho e o leite. não lave o copo do liquidificador. reserve.
aqueça o azeite e a margarina - em dupla, evita que a manteiga ou a margarina queimem - acrescente o meu tempero, deixe fritar sem escurecer, abaixe o fogo, e acrescente o creme contido no liquidificador, deixe engrossar, acrescente o creme de leite. reserve.

segundo recheio: numa vasilha, misture o presunto picado, a muçarela picado e o molho de tomate, misture bem, com as mãos. reserve.
os ingredientes da massa devem ser batidos no mesmo liquidificador, não lavado, no qual foi batido o milho - truquezinhos culinários benfazejos - alternando os ingredientes, e começando pelos líquidos. mas, ao colocar o fermento, agregue-o à massa misturando com uma colher ... dê, apenas, uma curta batida.

feito isto resta montar os recheios em ordem:
metade da massa
primeiro recheio
segundo recheio
metade restante da massa.