sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

bolo de bacalhau

tomate, a fruta.
pertencente à vasta família das solanáceas/solanaceae que tem, entre seus 2000 membros, certos arbustos de índole duvidosa, cozinheiros da europa, por precaução, mantiveram-no no anonimato por muito tempo.
assim como a beladona e a datura, plantas extremamente venenosas, a batata, o tabaco, a jurubeba, a berinjela, são alguns vegetais da mesma família botânica do tomate.
as solanáceas crescem abundantemente nas regiões quentes, e o tomate, antes de se revelar uma frutinha em quem se pode confiar, era cultivado como planta ornamental.
mal acostumados, os europeus não sabiam como preparar o tomate. sua acidez não combinava com o conceito que eles faziam da fruta ideal.
foi então que antonio latini, um italiano que servia à corte espanhola, e era natural da região italiana de le marche, localizada na panturrilha da bota, criou uma mistura de cebola, óleo de oliva e tomates e assim se fez o molho de tomates.
aí sim!!! o tomate mostrou a que veio.
simples assim!!! em seu livro, lo scalco alla moderna, escrito, provavelmente, entre 1692 e 1694, foi publicada a receita que ensinava levar ao fogo pedaços de tomate, sem pele e sem sementes, temperá-lo com salsinha, cebola e alho picado, sal, pimenta, azeite e vinagre, para se conseguir um molho de tomates de estilo espanhol.

na receita a seguir, o molho de tomates faz a moldura pro bolo de bacalhau.
o bolo ficou uma delícia, leve e saboroso.
ofereço a vocês com todo prazer.

ingredientes para o bolo:
680 gramas de bacalhau - facilita bastante, usar as lascas de bacalhau que se encontra pra comprar no supermercado
3 batatas grandes - 950g - cruas, descascadas e raladas no ralo grosso
4 ovos
2 colheres - sopa - de azeite de oliva
3 colheres - sopa - cheias, bem gorduchas, de farinha de trigo integral

ingredientes para o molho:
2 cebolas grandes picadas
azeite de oliva
340g de molho de tomate - seja feito por você ou comprado pronto

atenção!!! tanto o bolo quanto o molho precisam de cuidado em relação ao sal. se achar necessário, apenas acerte o sal a seu gosto.

preparando:
unte uma assadeira ou uma forma de buraco no meio, com óleo e farinha de rosca.
acenda o forno na temperatura média/baixa - o meu é a 180 graus.
lave o bacalhau - usando as lascas, basta lavar - e coloque numa vasilha para dessalgar. deixe de molho durante a noite, troque a água enquanto puder. costumo deixar com um fio de água correndo sobre ele. enfim, retire o sal como o seu costume. o importante é que ele esteja em lascas na hora de preparar.

quando o bacalhau estiver preparado, ou seja, dessalgado e em lascas, descasque e rale as batatas no ralo grosso, e coloque junto com o bacalhau.
acrescente o azeite, os ovos e a farinha.
misture, agregue tudo, muito bem.
ajeite na forma untada.
leve ao forno onde deverá ficar por 1 hora, mais ou menos - depende de cada forno - controle espetando uma faca. deixe dourar.

enquanto isso, prepare o molho:
frite a cebola no azeite, até que ela comece a dourar.
acrescente o molho e deixe apurar.
assim que o bolo estiver pronto, deixe esfriar, desenforme com cuidado, e regue com o molho.
sirva com arroz branco e salada.

esta receita, assim como muitas publicadas aqui no assadeira, foi criada por mim. peço a todos que fizerem uso dela, publicando na web/internet ou executando, que deem o crédito que ela e eu merecemos.

é isso.

... que venha 2012!!!

sábado, 10 de dezembro de 2011

maionese de iogurte com salada de batatas, peixe e cenouras

ingredientes:
1 tilápia saint-peter inteira - este peixe é pequeno. se tiver 250 ou 280g está de bom tamanho. compre limpa.
ou
2 ou 3 filés de tilápia saint-peter
enfim, se preferir outro peixe, fique à vontade. a saint-peter é ótima, pois, contém pouca gordura, e seu consumo é sustentável, já que é criada em cativeiro
12 batatas médias
3 cenouras médias, cortadas e cubos
3 potes de iogurte natural desnatado
saches de caldo de legumes 0% de caloria
mostarda
1 maço de cebolinha verde picada
1 cebola grande cortada em cubos
azeite de oliva extra virgem à vontade
preparando:
cozinhe a tilápia saint-peter em água temperada com 1 sache de caldo de legumes, em quantidade suficiente para cobrir o peixe. depois de cozida, retire do caldo que foi produzido. se a tilápia saint-peter for inteira, retire as espinhas e a pele. reserve.
se for em filés, cozinhe em água temperada com 1 sache de caldo de legumes, em quantidade suficiente para cobrí-los. depois de cozidos, retire do caldo. reserve.
cozinhe as cenouras no caldo do peixe. deixe reduzir o caldo à metade, não retire as cenouras do caldo.
em seguida, em outra vasilha, misture o peixe cozido, as cenouras, o caldo do peixe onde foram cozidas, e a cebola cortada em cubos. reserve.
cozinhe as batatas, deixe perder um pouco do calor, descasque, e vá colocando numa vasilha grande, dê uma amassada pra formar um purê pedaçudo, misture com a cebolinha verde picada, regue com um pouco de azeite de oliva extra virgem. reserve.
em outra vasilha menor, misture o iogurte, a mostarda a gosto, caldo de legumes a gosto e azeite pra formar um molho liso.
agora, junte a mistura de batatas, a mistura de cenoura e peixe, e o iogurte temperado.
regue com azeite, acerte o sal utilizando o caldo de legumes, e ... bom apetite!!!

importante misturar a cebolinha verde picada e a cebola também picada, aos ingredientes ainda quentes. os sabores agregam melhor.

quem é a tilápia saint-peter???
tilápia saint-peter, conheça um pouco mais

abracadabra et, voilà!!!
requeri/regina claudia

sábado, 19 de novembro de 2011

bolo de coco e abacaxi

um bolo sublime, prazeroso, simples de fazer, saboroso e que derrete na boca.

ingredientes:
um abacaxi, cortado em rodelas, retirado o miolo, e cozido - vão ser utilizados, aproximadamente, 350g da fruta cozida. deixe reduzir a água do cozimento para, mais ou menos, a metade e reserve
ou
1 vidro de abacaxi em calda - utilize aproximadamente 350g da fruta e reserve a calda
225g de manteiga ou margarina
200g de açúcar
1 colher - sopa - de açúcar vanillé
ou
1 colher - café - de essência de baunilha

atenção!!! - a equivalência é exatamente como está indicada na receita, ou seja, pra cada colher de sopa de açúcar vanille, 1 colher de café da essência líquida de baunilha.

5 ovos
250g de farinha de trigo integral - utilize metade da integral e metade da refinada, para aproveitar os nutrientes
2 colheres - café - de fermento químico em pó
50g de amêndoas em pó - processe, você mesmo, as amêndoas sem casca, ou substitua por nozes ou castanhas de cajú, também processadas
50g de coco ralado desidratado
manteiga e farinha de rosca para untar a forma
100g de coco ralado queimado e adoçado para salpicar

preparando:
unte uma assadeira redonda, ou uma forma de buraco no meio - mais ou menos 26 cm de diâmetro - com margarina/manteiga e farinha de rosca.
pré-aqueça o forno em temperatura média - o meu é a 180°c.
escorra o abacaxi em calda ou cozido por você, e reserve a calda.
numa panela pequena caramelize 25g de manteiga/margarina com 25g de açúcar em fogo moderado. acrescente 2 colheres - sopa - da calda do abacaxi. reserve o caramelo.
espalhar o caramelo sobre o fundo e cobrir com algumas rodelas de abacaxi.
corte o abacaxi restante em cubos.
na batedeira, bater o restante de margarina/manteiga - 200g - com o resto de açúcar - 175g - junto com a baunilha, incorporam os ovos um a um.
misturar a farinha com o fermento químico, juntar as amêndoas/nozes/castanhas processadas e o coco ralado incorporando, uma a uma, 2 colheres - sopa - da calda de abacaxi.
parar de bater e colocar/misturar os cubos de abacaxi.
coloque a massa na forma untada, leve ao forno pré-aquecido a 180°c por, aproximadamente, 60 minutos.
retire do forno e salpique com o coco ralado queimado e adoçado, ou espere esfriar - aproximadamente 10 minutos - desenforme, e salpique o coco ralado queimado.

utilizei o coco ralado desidratado ducoco, e coco queimado e adoçado ducoco.

abracadabra et, voilà!!!
requeri/regina claudia

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

torta de sardinha

preparando os ingredientes:
250 gramas de pão - francês amanhecido ou de forma, integral, de grãos, qualquer um de sua preferência
1 litro de caldo de legumes 0% de caloria
2 cebolas grandes picadas
umedeça o pão no caldo. reserve.
frite a cebola e acrescente 3 colheres - sopa - de massa de tomate.
bata 2 ovos, inteiros, como se fosse pra fazer omelete. reverve.
numa vasilha, esfarele 3 latas de sardinha em seu óleo, misture 1 lata de ervilhas e 1 copo de azeitonas verdes picadas. misture bem, sem deixar que as ervilhas desmanchem. junte a mistura ao refogado de cebola e massa de tomate. misture e refogue para incorporar todos os ingredientes. reserve. deixe esfriar.

importante e digno de atenção: a ervilha pode ser substituída por 2 abobrinhas médias, raladas. eu prefiro assim. neste caso, rale-as e refogue com a cebola e a massa de tomate. tome cuidado, pois, a abobrinha cozinha rápido. em seguida, proceda como com a ervilha.

escorra o pão numa peneira para eliminar o excesso de caldo. acrescente o pão escorrido ao refogado, misture, acrescente os 2 ovos batidos, e misture tudo muito bem.
religue o fogo. mexendo sempre, espere até que apareça o fundo da panela, sem deixar grudar.
coloque a massa numa forma untada com óleo, no forno pré-aquecido em temperatura quente - 210 graus - por 30/40 minutos.
retire do forno, deixe esfriar, e leve na geladeira por 2 horas. desenforme.
coma gelado - delícia!!! - com salada verde.
se preferir, coma quente. para desenformar, deixe reduzir a quentura.

abracadabra et, voilà!!!
requeri/regina claudia

sábado, 5 de novembro de 2011

massa ao molho de queijo azul

quando penso nos queijos gorgonzola ou roquefort, os queijos azuis, imagino imediatamente em figurá-los derretidos, envolvendo alguma massa curta, contando com a colaboração de creme de leite fresco, requeijão cremoso e talos cebolinha verde bem cortados, num molho digno de um rei.

os queijos azuis mais famosos, cá pra nós, são o roquefort e o gorgonzola.

o roquefort é originário da região de rouergue/frança, tem formato cilíndrico e pesa uns 3kg, possue casca de cor clara, quase marfim, meio grudenta. seu sabor pode ser picante dependendo do tempo que dura sua maturação, e sua textura é muito macia.

o gorgonzola é de origem italiana e é maturado pelo mesmo fungo do roquefort, o mesmo que fornece, a ambos, o mofo azulado, e lhes confere a característica única e própria dos queijos azuis.
preparando:
cozinhe 1 pacote - 500g - de massa curta.
corte as cebolinhas verdes, finamente.
frite um dente de alho esmagado - opcional - em 1 colher de manteiga, numa panela ou frigideira.
sobre o alho fritado, derrame 2 copos do creme de leite fresco e 1 copo de requeijão cremoso - que seja o catupiry. movimente a panela, gire, mexa, para que o calor se espalhe e faça o creme e o requeijão começarem a borbulhar.
acrescente ao creme, o equivalente a 2 copos do queijo gorgonzola ou do queijo roquefort esfarelados. continue mexendo, sobre fogo baixo, até que todo o queijo se dissolva no creme.
tempere a massa e polvilhe a cebolinha verde picada sobre tudo.

queijos no brasil.com

abracadabra et, voilà!!!
requeri/regina claudia

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

bolo sem farinha

com criança em casa é bolo todo dia.

nos meus tempos sob tal imposição, a tarefa tinha de ser cumprida com rapidez, ou seja, enquanto o porrinha estivesse na escola.
o bate-volta era rigoroso e o leva & traz não podia perder o rítmo.
então, na vizinhança, éramos uma equipe de culinaristas ... sempre alerta!!!
as receitas borbulhavam pelos elevadores ou através da eficiente interfonada.
um dia, uma das minhas vizinhas, veio com uma tal receita de bolo sem farinha. a reação foi explosiva. mais ainda porque o tal bolo, além de abolir a farinha, era pra ser feito no liquidificador.
mãos à obra!!!
rápida, fácil, simples, do jeito que as mães sonham, e com um resultado certeiro, pra agradar a mais exigente criança.

aproveitem a receita e o resultado.

ingredientes:
4 ovos
1 lata de leite condensado - pode ser o light
1 pacote de coco ralado - 100g
2 colheres de sopa de margarina
1 colher - sopa - de fermento químico em pó
3 colheres - sopa - de achocolatado ... aquele, mais famoso

preparando:
pré-aquecer o forno em temperatura média - 180 graus.
untar uma assadeira retangular - ou redonda - com margarina e farinha de rosca.
levar todos os ingredientes pro liquidificador, menos o coco e o fermento. bater bem.
agora sim!!! diminuir a velocidade do liquidificador, acrescentar o fermento. bater até que o fermento se agregue aos outros ingredientes.
desligar, colocar o coco ralado, misturar bem, pra que fique tudo, muito bem misturado.
despejar na forma untada. estará assado quando a faca sair limpinha.

se quiser, e caso tenha utilizado a assadeira retangular, faça uma receita de brigadeiro mole, divida o bolo em duas metades, forre uma delas com parte da receita de brigadeiro mole, cubra com a outra metade, e espalhe o restante do brigadeiro. enfeite com frutas frescas ou salpique confeitos coloridos ou de chocolate.

depois, descanse!!! você criou a perfeição.

abracadabra et, voilà!!!
requeri/regina claudia

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

morangos numa sobremesa fácil e irresistível - clafoutis ou flaugnarde

clafoutis é uma sobremesa francesa, deliciosa, originalmente feita com cerejas pretas.
clafoutis é uma visão entre um bolo e um creme, para ser servida morna mas, se conseguir resistir ao assédio, nada impede que seja devorada fria.
ela é tão deliciosoa e simples de fazer, que eu decidi fazer com as frutas do desejo ... morangos!!!

e foi assim que encontrei um gancho pra contar história.

o clafoutis, é a sobremesa das cerejas pretas que enchem uma massa singela disposta sobre um refratário untado com manteiga. depois de ser retirado do forno, ainda quente, todo mundo será polvilhado com açúcar.

de acordo com os ortodoxos pasteleiros da cozinha francesa, os caroços da cereja não devem ser removidos, pois, conferem ao clafoutis um sabor maravilhoso depois de assado. porém, nada nos impede de removê-los. sendo assim o clafoutis terá o sabor suavisado.

a partir do original das cerejas pretas, foram criadas variações com outras frutas. cá pra nós podem ser pessegos naturais ou em calda, maçãs, banana, manga, abacaxi cozido, gomos de laranja ou tangerina devidamente livres de sementes e peles, figos sem a casca cortados ao meio ou em quatro, ... sendo assim, o nome original sai de cena, e entra outro, tão simpático quanto, o flaugnarde, pronunciado flonharde.
ingredientes:
2 e 1/2 copos de morangos cortados ao meio
3 ovos
6 colheres - sopa - de açúcar
2 colheres - sopa - de farinha de trigo
3 gotas de essência de baunilha
1/2 xícara - chá - de creme de leite fresco

preparando:
pré-aqueça o forno em temperatura média - pra maioria, a 180 graus.

unte um refratário com manteiga, cubra a superfície untada com os morangos, dispondo-os com a face cortada virada para baixo. reserve.

com o auxílio de um fouet - o que é fouet??? saiba, aqui - bata os ovos como se fosse pra fazer omelete, junte o açúcar e bata bem.
adicione a farinha de trigo continue batendo, sempre.
acrescente a essência de baunilha e o creme de leite. vá batendo, até conseguir uma massa homogênea.
deite a massa sobre os morangos.
leve ao forno, e deixe assar por 25/35 minutos ou até dourar. faço o teste da faca, espetando o meio do flaugnarde, e quando ela sair quase limpinha, está pronto.
observação: devido à umidade da receita, a faca poderá sair molhada, porém, sem massa mole.
ao retirar do forno, ainda quente, polvilhe com açúcar cristal ou de confeiteiro.

sirva sozinho ou acompanhado de sorvete de chocolate, ou de qualquer sabor.

abracadabra et, voilà!!!
requeri/regina claudia

domingo, 23 de outubro de 2011

bolo de iogurte

ingredientes:

atenção!!! - utilize o pote de iogurte como medida.

1 pote de iogurte natural
2 vezes a mesma medida de açúcar cristal
2 vezes a mesma medida de farinha de trigo integral
60g de manteiga/margarina derretida
gotas de baunilha
1 colher - sopa - de fermento químico em pó
1 pitada de sal
3 ovos

preparando:
pré-aqueça o forno em temperatura média - 180°c.
unte uma forma com manteiga/margarina e farinha de rosca.
na tigela da batedeira ou numa tigela grande, colocar o pote de iogurte, o açúcar e a manteiga. bater com os misturadores da batedeira, com o auxílio de um fouet ou com a ajuda de dois garfos.
adicione os ovos inteiros, a baunilha e a pitada de sal. misture bem para ligar os ingredientes.
aos poucos, adicione a farinha, misture, até obter uma massa lisa e coloque o fermento. misture com a batedeira na potência mínima.
despeje a massa na forma preparada, e asse por 35 minutos ou até que uma faca, inserida no centro do bolo, saia sequinha.

nota do assadeira: fouet - traduzido do francês significa chicote, e se pronuncia fuê - é um batedor de ovos e massas que mistura, mexe, bate, e afofa todo mundo. com ele é possível conseguir resultados ótimos, quando se precisa de uma massa bem homogênea. usar um fouet para bater massa de bolo, garante que os ingredientes se misturem com sucesso, e que haja melhor distribuição de ar na massa. o fouet ajuda a deixar o bolo mais leve e fofinho.
o fouet tem uma utilidade fundamental na cozinha, ou seja, ele substitui com vantagens inigualáveis, qualquer colher, quando ele resolve misturar a farinha e a manteiga, na panela, na hora de fazer o molho béchamel.

abracadabra et, voilà!!!
requeri/regina claudia

sábado, 22 de outubro de 2011

enroladinhos de aletria ao forno

indiscutível a magia que produz compartilhar da mesma mesa, nas relações pessoais. isto inclui estar só à mesa. o valor está em pausar a vida, sossegar, saborear, alimentar. estar só à mesa, não significa estar só na vida. - requeri -

a aletria, capellini, ou cabelo de anjo, é a massa de origem árabe - al-irtiâ - tem um formato de macarrão fininho, comprido, e é comercializado em pequenos ninhos.

li no detetive das palavras, o balashon, que itriya, é a palavra que designa massa.
vem cá e tira a dúvida, em português
vem cá e tira a dúvida, em inglês

no libre de sent soví, de anônima autoria, escrito em catalão no século XIV - talvez 1324 - há uma menção a alatria em duas receitas de origem árabe, uma delas sugere que a aletria seja cozida no mel e leite de amêndoas - leite animal era proibido em dias de jejum.
buscando pelo significado da expressão catalã sent soví encontrei: a arte de preparar alimentos de acordo com as tradições ou novas combinações.

vem pra cá, e leia sobre o libre de sent soví
venha ler sobre a cozinha catalã, em português, traduzido pelo google

o libre sent sovi - cozinha catalã medieval no século XIV é um dos primeiros manuscritos de culinária européia. a cozinha catalã medieval possue sabores sutis e requintados, com misturas de salgados e doces, combinados de doces e azedos, e tem uma identidade muito própria, cujas técnicas são usadas ainda hoje: pasta com amêndoas, nozes, avelãs, ervas e especiarias, tudo muito bem esmagado, conservas feitas com cebola, alho, ervas, fervidas durante horas.
os mnelhores e mais conhecidos pratos da cozinha medieval, encontrados no livre scent sovi o creme de galinha, guisado de carneiro, assado coberto com molho de leite de amêndoa, molho agridoce com especiarias, peixe fresco marinado em molho de cebola, e mais receitas de berinjela recheadas, aspargos grelhados e uma variedade de bolinhos. são receitas de grande importância na história da culinária que foram atualizadas por uma questão de autenticidade, para que fossem adaptadas aos nossos gostos. todos conhecemos, ao menos, uma receita da cozinha catalã. isso é o mesmo que ser transportado ao século XIV.
o carater mediterrânico da cozinha medieval nos leva à atmosfera de um aconchegante ambiente do passado.

esta massa tão versátil, se dispõe, depois de cozinhada, à feitura de pratos ótimos. aletria cozida ao dente na manteiga, com qualquer tipo de molho, na sopa, de consistência mais compacta para ser fatiada, ou mais cremosa compondo a receita de algum doce.

os enroladinhos de aletria são fáceis de preparar, mas são um prato pro domingo, quiçá!!! prum dia de festa, pois, o resultado é esplendoroso.
ingredientes:
pro molho branco:
2 colheres - sopa - do meu tempero - receita, aqui
2 copos de leite
2 colheres - sopa - de amido de milho
1 copo de requeijão
1 copo de iogurte
sal a gosto

outros ingredientes:
molho de tomate de ótima qualidade
1 pacote de aletria
350g de queijo gorgonzola esfarelado
300g de nozes picadas
30 fatias de presunto de peru
30 fatias de muçarela
1 copo de requeijão
queijo parmesão ralado

preparando:
os rolinhos:
cozinhe a aletria, ao dente, temperada como preferir: saches de caldo, dentes de alho com casca e tudo, louro, alecrim, ... estando cozida, escorra.

o molho branco:
numa panela, refogar o meu tempero em 2 colheres - sopa - de requeijão.
separadamente, misture o leite e o amido de milho.
abaixe o fogo do refogado e acrescente a mistura de leite e amido. mexendo sempre, espere engrossar.
junte o requeijão restante no copo. misture todo mundo, agregando perfeitamente.
apague o fogo, junte o iogurte, acerte o sal, misture.

continuando com os rolinhos:
forre um refratário redondo com uma camada do molho branco e, sobre ela, uma de molho de tomate.
misture a aletria cozida ao queijo gorgonzola esfarelado, e às nozes picadas.
corte as fatias de presunto e de muçarela, ao meio.
envolva pequenos punhados da massa de aletria e gorgonzola, com as fatias de muçarela e presunto de peru cortadas ao meio, fazendo com que a fatia de presunto fique por fora, e a de muçarela por dentro, ou seja, imediatamente depois do punhado de aletria.
faça assim: coloque sobre a mesa o presunto, sobre ele a muçarela e sobre os dois, um punhado da mistura de aletria e gorgonzola. enrole, corte os rolinhos ao meio, e ajeite, lado a lado, sobre os molhos espalhados pelo refratário, com a face do corte pra cima.

a montagem, no refratário, ficará assim:
  1. molho branco
  2. molho vermelho
  3. rolinhos
  4. molho vermelho
  5. molho branco
  6. bolotas do requeijão
  7. queijo parmesão ralado

leve ao forno para gratinar.

enfim, eu dou a idéia, você faz do seu jeito.

abracadabra et, voilà!!!
requeri/regina claudia

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

bacalhau com arroz e repolho

"... a cozinha e a adega exercem uma larga e directa influência sobre o homem e as sociedades." - eça de queirós -

ingredientes:
1/2kg de bacalhau
1 repolho pequeno
1 xícara de arroz
1/2 vidro de leite de coco
3 colheres - sopa - do meu tempero - receita, aqui
1 xícara - chá - de cheiro verde picado
folhas de manjericão
azeitonas pretas picadas
azeite de oliva extra virgem

preparando:
retire o sal do bacalhau. deixe de molho em um fio de água corrente por 5 ou 6 horas. retire as espinhas e a pele e separe em lascas. alguns supermercados vendem as lascas de bacalhau limpas, sem espinhas e sem a pele. se comprar assim, apenas deixe de molho.
numa panela refogue o meu tempero sem dourar.
deixe refogar por 5 minutos e acrescente o bacalhau. refogue.
acrescente o repolho, só a parte das folhas, sem o talo do meio, mexa e deixe até que as folhas do repolho estejam cozidas a seu gosto, e tudo muito bem agregado.
à parte, cozinhe o arroz misturando, na água, o leite de coco. - vem conhecer a minha receita de arroz -
misture o refogado de bacalhau e repolho ao arroz, arrume tudo numa travessa bonita, e enfeite com o cheiro verde, o manjericão e as azeitonas.

se quiser, sirva com brócolis cozidos.

o beberico pode ser suco ou vinho.
o vinho tinto apresenta taninos, e não combina com peixe, pois, deixa na boca, uma sensação desagradável de metal.
o bacalhau é invocado, não foge à regra, e se dá bem com vinho sem taninos.
ele se dá bem com vinho tinto, branco, e rosado. um branco encorpado com inclinação pra madeira, ou algum bem frutado, sem taninos, sustenta muito bem, não apenas as receitas com bacalhau, mas várias receitas com peixe.

abracadabra et, voilà ... ora pois!!!
requeri/regina claudia

terça-feira, 18 de outubro de 2011

bolo de leite de coco

ingredientes:
3 colheres - sopa - de manteiga ou margarina - 75g
2 xícaras - chá - de açúcar
3 ovos inteiros
2 xícaras - chá - de farinha de trigo integral - pode ser usada a refinada
1 vidro de leite de coco - para a massa
1 vidro de leite de coco - para a cobertura
1 pacote de coco ralado - para a cobertura
1 colher - sopa - de fermento químico em pó

preparando:
pré-aquecer o forno em temperatura média - 180 graus.
untar uma assadeira com manteiga e farinha de rosca.
na batedeira, bater a manteiga com o açúcar, acrescentar os ovos, bater, até formar uma massa lisa, clara e homogênea.
juntar a farinha, bater. juntar 1 vidro de leite de coco, bater.
por fim, acrescentar o fermento e bater em velocidade mínima, rapidamente, o suficiente para agregá-lo à massa.
levar ao forno para assar pelo tempo necessário para que fique corado, e até que o palito saia limpinho.

o fundo de um prato de açúcar - aproximadamente 4 colheres/sopa - o pacote de coco ralado e o outro vidro de leite de coco, misturar e cobrir o bolo, ainda quente, com esta mistura.

domingo, 16 de outubro de 2011

fatias de pão italiano, tostadas, com queijo

uma viagem até o interior da frança, e que não tinha intenções gastronômicas, transformou-se numa aula da mais rica gastronomia culinária.
jamais deixei de pensar no assunto, e arrumei um jeito de dividir as descobertas que fiz, o meu assadeira.

na frança, pão - que pão!!! - e queijo de boa qualidade, no forno ou não, com ou sem jambon - presunto - não tem erro.
a fome apertou? ali é o refúgio.
essa combinação tem nome, croque-monsieur, e existe há mais de um século. o nome vira croque-madame, se ganhar um ovo frito.
queijo, na frança, é covardia, e o croque-monsieur, com queijo nativo, é dupla covardia.
a receita conhecida leva queijo ralado sobre pão, presunto e uma mistura de ovos com creme de leite, vai ao forno quente e ninguém morre de fome. vem cá pra conhecer uma receita que eu criei, a partir desse modelo, e também pra saber sobre a origem do croque-monsieur, e de seu companheiro, o croque-madame, e outras histórias.

a receita de hoje é um pouco daquilo. experimente.
ingredientes:
8 fatias grandes de pão italiano - use o filão, suas fatias se acomodam melhor na assadeira
1 1/2 copos de vinho branco seco
500g de queijo gruyère ralado - pode ser usado o parmesão ralado, o gorgonzola ou roquefort esfarelado, muçarela ralada, ou outro de sua preferência
3 ovos
1 caixinha de creme de leite
sal, orégano e pimenta do reino, a gosto
1 xícara - chá - de azeitonas verdes picadas
manteiga ou margarina

preparando:
pré-aquecer o forno em temperatura quente - acima de 200 graus.
derreter a manteiga ou a margarina numa frigideira, e tostar, levemente, as fatias de pão.
coloque-as, lado a lado, numa assadeira revestida com papel manteiga, regue com 1/2 copo de vinho. reserve.
misturar os outros ingredientes - queijo, ovos, creme de leite, pimenta, orégano, azeitonas picadas - e espalhar sobre as fatias de pão.
assar durante 10 minutos em forno pré-aquecido.
enfeite com as folhas de manjericão e com as nozes moídas.

servir no lanche com salada de alface, escarola, rúcula, tomate, cubos de presunto de peru.

enfim, eu dou a idéia, você faz do seu jeito.

abracadabra et, voilà!!!
requeri/regina claudia

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

salada de arroz com legumes e nuggets

a culinária francesa é saborosa, diversificada, mas contém alguns ingredientes que desconhecemos. pra resolver isso, basta buscar substituições que, mesmo correndo o risco de não serem idênticas, podem levar a resultados semelhantes ou melhores.
o spigol, por exemplo, um dos ingredientes da receita de hoje, ele empresta a luz da cor amarela aos alimentos, serve para colorir a paella, ou para tornar fulgurantes, os molhos, as massas, o arroz, a mandioca, ...
o spigol é uma especiaria criada à base da aliança entre a pimenta doce, a curcuma e o açafrão mas pode, cá entre nós, ser substituída, simplesmente, pelo açafrão.
o spigol tem sua história a partir na argélia, em 1876 com antoine espig.

agora, bem informados, vamos à receita.

ingredientes:
500g de arroz - o arroz parboilizado é mais soltinho, mais ao dente, mais firme, mais apropriado
6g spigol - ou açafrão
legumes - abobrinha, ervilhas frescas, beringela, salsão, pepino, rabanete, cenoura cozida ou ralada crua, chuchu, pimentão, ervilha torta, vagem macarrão, brócolis, cogumelos, ... são algumas das sugestões, escolha ao seu gosto
500g de nuggets de frango
300g de muçarela cortada em cubos
tomates cereja
pó de curry para temperar
azeite de oliva extra virgem
1 cebola roxa picada
cebolinha picada
azeitonas pretas, picadas
salsinha picada
coalhada seca
preparando:
pique a cebola roxa e deixe numa vasilha, de molho, em água.
leve os nuggets ao forno e até que fiquem dourados.
cozinhe o arroz em água salgada no qual você coloca o spigol ou o açafrão, de modo que o arroz fique amarelo. depois de cozido, escorra o arroz e deixe esfriar.
corte em cubos pequenos, os legumes que escolheu, e cozinhe em água salgada, ao dente, respeitando o tempo de cozimento de cada um deles.
retire cada legume cozido da água e, com o auxílio de uma peneira, coloque-o na água fria corrente. reserve-os.
rale a cenoura, caso opte por ela desta forma.
misture o arroz bem escorrido e frio aos legumes, e junte os tomates cereja cortados ao meio.
escorra a cebola que estava de molho na água, e junte ao arroz.
tempere tudo com o curry em pó, a gosto ... não hesite quanto ao sabor e o gosto.
corte a muçarela em cubos pequenos e junte ao arroz, e aos legumes.
acrescente as azeitonas, a cebolinha e a salsinha.
regue com azeite de oliva.
espalhe sobre a salada os nuggets assados.
sirva a salada acompanhada pela coalhada seca.

c'est fini!!!

dependendo da ocasião, os nuggets podem ser substituídos por lascas de bacalhau devidamente tratado pra retirada do sal e das espinhas.

esta salada de arroz é perfeita para envolver as crianças. elas vão esperar para comer!!!

enfim, eu dou a idéia, você faz do seu jeito.

abracadabra et, voilà!!!
requeri/regina claudia

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

molho carbonara

para um autêntico gourmand italiano, o spaghetti carbonara, uma combinação de creme, ovos, queijo e bacon é, realmente, um prato romano, mas não é verdade que seja comido apenas em roma ou perto de lá.
alguém que diga ter nascido na itália, e que afirme nunca ter comido spaghetti carbonara, não pode ser reconhecido como um autêntico italiano. digamos que seja uma questão de comprovação de identidade.

na receita original, não se usa creme de leite. o verdadeiro spaghetti carbonara leva queijo pecorino, aquele queijo feito com leite de ovelha. porém, alguns preferem o spaghetti carbonara com o sabor do queijo parmigiano - parmesão ... saiba mais.
quanto ao tipo de massa, o spaghetti é ótimo para este prato, mas talvez o bucatini seja ainda melhor - bucatini é como o spaghetti, mais grosso, e furado no sentido do comprimento.
seja com o spaghetti, seja com o bucatini, massa temperada com o molho carbonara é uma das melhores receitas italianas.

tendo todas essas informações como base, ofereço a receita adaptada ao meu gosto.

ingredientes:
500g de massa - spaghetti ou qualquer outra massa longa da sua preferência
1/2 xícara - chá - de creme de leite
4 ovos inteiros
350g de presunto de peru defumado picado
azeite de oliva extra virgem
1 xícara - chá - de salsa picada
sal e pimenta do reino moída, a gosto
1 xícara - chá - de queijo parmesão ralado
1 xícara - chá - de folhas de manjericão

preparando:

importante:
  • ao escorrer o macarrão, se achar necessário, reserve 1/2 xícara - chá - da água do cozimento para usar no molho.
  • a massa precisa estar bem quente quando adicionar a ela, a mistura de ovos, queijo e creme.

ferva a água e coloque o macarrão para cozinhar.
enquanto a massa cozinha, leve o presunto picado para uma frigideira com um pouco de azeite, e deixe fritar lenta e levemente, em fogo baixo, por 10 a 15 minutos ou até ficar corado. retire o presunto da frigideira e escorra sobre papel absorvente.
em uma vasilha misture os ovos, o queijo, o creme de leite, o azeite, e bata com um garfo, até que tudo esteja completamente misturado.
escorra a massa e, imediatamente, junte com a mistura de ovos e creme, em seguida, adicione o presunto e a salsa picada.
para servir salpique com queijo ralado adicional, se desejar.

acompanha salada de verduras variadas, pepino, cebola, tomate cereja, e o que mais agradar.

pela combinação de queijo, creme, peru, sugiro vinho tinto leve ou médio ou branco seco, espumante brut ou tinto jovem leve ou de médio corpo, branco jovem ou maduro, ou um vinho tinto maduro robusto ou fortificado.

lembre-se, sabores acentuados como curry, dendê, shoyu, wasabi, ou ácidos feito vinagre, limão, laranja, grapefruit, kiwi, ... ou verduras como a alcachofra, aspargo, couve ... e pratos como a feijoada, não combinam com vinho.
dizem que ovos, chocolate e sopa, também são incompatíveis com a bebida, porém, há controvérsias.

enfim, eu dou a idéia, você faz do seu jeito.

abracadabra et, voilà!!!
requeri/regina claudia

terça-feira, 11 de outubro de 2011

macarrão gratinado

ingredientes:
500g de macarrão - curto ou longo, não importa
3 colheres - sopa - do meu tempero - receita, aqui
1 ou 2 pimentas vermelhas secas picadas - opcional - e você pode usar a pimenta vermelha fresca, retirando as sementes
1,5kg de tomates maduros
1 xícara - chá - folhas de manjericão
1 colher - sopa - de vinagre
2 xícaras - chá - de queijo parmesão ralado - 2 xícaras de muçarela ralada
azeite de oliva extra virgem
sal - ou caldo de legumes
pimenta do reino - opcional

preparando:
pré-aqueça o forno à 200°c.
coloque água salgado pra ferver.
numa panela, aqueça o azeite de oliva extra virgem, 1/2 xícara - chá - mais ou menos, em fogo médio.
frite o meu tempero junto com a pimenta vermelha, sem deixar dourar.
lave e bata os tomates no liquidificador.
acrescente-os ao tempero da panela.
quando começar a ferver, deixe por mais 40 minutos.
acrescente as folhas de manjericão, o vinagre, a pimenta do reino, e acerte o sal. misture, deixe mais 5 minutos e desligue.
cozinhe e escorra o macarrão.
unte, com azeite, um refratário grande.
estenda uma parte da massa, cubra com uma parte do molho, uma xícara do parmesão ralado, outra de muçarela, e vá fazendo as camadas, até que terminem os ingredientes e que a última seja de queijo e muçarela.
leve ao forno por 15 minutos, ou até que esteja gratinado.

enfim, eu dou a idéia, você faz do seu jeito.

abracadabra et, voilà!!!
requeri/regina claudia

domingo, 9 de outubro de 2011

assado de porco com ameixas

porco assado é tão bom e tão comum que todo mundo come, mas ninguém conta!!!
carne de porco assada com batatas, carne de porco assada rodeada por cebolas, assado de porco com legumes coloridos, vamos admitir, é um poema.

consideravelmente menos gordurosa do que a carne de frango, sem pele, é possível elaborar incontáveis ​​pratos com carne de porco. receitas exóticas com carne de porco embebida por caramelo, perfumada pelo gengibre em fatias finas ou ralado, com cerveja, cogumelos, entremeada de maçãs fatiadas, regada com molhos suculentos ou caldos saborosos. são inúmeras variações de carne de porco para agradar ao paladar.

a carne de porco, há muito tempo, tem a má reputação de ser uma carne muito gordurosa. agora que sabemos que esta não é a fiel versão da verdade, podemos usá-la em receitas para refeições fora do comum, em qualquer estação do ano.
porém, o porco tem um lado reconfortante, especialmente se você usar uma receita para o porco assado, com legumes, no inverno, quando o vento sopra lá fora, e o frio se arma contra nós.

uma ode ao porco assado deve ser recitada no início de cada refeição, por toda a gama de prazeres gustativos que ele nos oferece!

ingredientes:
1 1/2kg de carne de porco cortada em cubos
1 xícara - chá - de caldo de legumes - utilize sache 0% de gordura
1 xícara - chá - de suco de maçã
2 xícaras - chá - de ameixas pretas se caroço
2 cebolas grandes cortadas em rodelas finas
5 maçãs verdes
raspas de 1 laranja pera grande
sal e pimenta do reino
1/2 xícara - chá - de alecrim
1 colher - sopa - de gengibre ralado
1 colher - café - de canela em pó
2 colheres - sopa - de óleo

preparando:
coloque as ameixas pretas de molho em água, e deixe por 1 hora.
pré-aqueça o forno em temperatura média - 180ºc.
doure a carne no óleo, retire os cubos de carne da panela. reserve.
na panela, na mesma gordura desprendida da carne coloque a cebola, e refogue em fogo baixo, até que comece dourar, levemente.
em uma assadeira grande disponha em camadas: a carne, a cebola e a maçã.
repita as camadas até que terminem os ingredientes.
na panela de onde você retirou a cebola, passe as ameixas, rapidamente. com elas, cubra todos os ingredientes da assadeira.
numa jarra misture o suco de maçã, o caldo de legumes, a raspa da laranja, o alecrim, a canela, o gengibre, sal, pimenta do reino e despeje sobre tudo.
cubra com papel alumínio - a parte brilhante em contato com o alimento - e leve ao forno, por 45/50 minutos.

por fim, salpique com salsinha ou com alho desidratado em lascas.

abracadabra et, voilà!!!

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

torta de abacaxi

o rei das frutas nos pertence, é tropical, é uma bromélia, se reproduz o ano todo, e tem a samambaia como parente próximo.
sua flores roxo-purpúreas reunidas, quando abertas´, perdem as pétalas e as sépalas, junto com outras partes da sua inflorescência, e soldam-se, dando origem ao fruto saboroso do qual se aproveita, absolutamente, tudo!!!
o abacaxi é refresco, doçura e acidez, nutrição, alívio na bronquite, no resfriado e na gripe, ajuda na formação dos ossos e é pura energia.

leia mais: aqui, aqui, e aqui
benefícios do suco de abacaxi

mas, como ninguém é de ferro, e pra saudar o final de semana, a receita de hoje aqui no blogg é uma torta de abacaxi que se come geladinha.

ingredientes do creme:
1 lata de leite condensado - pode utilizar o light
1 lata de creme de leite - pode utilizar o light
1/2 litro de leite
3 gemas peiradas - não ajude com uma colher. fure a gema com um palito, e deixe-a escorrer naturalmente.
2 colheres - sopa - de amido de milho

outros ingredientes:
1 lata de abacaxi em calda cortado em cubos - reserve a calda
vinho branco suave
300g de biscoito inglês ou maizena
coco ralado
chocolate branco ralado
nozes moídas

preparando:
faça um creme: misture o leite condensado, o leite, as gemas e o amido de milho. leve ao fogo para engrossar mexendo, para não empelotar.
quando engrossar, retire do fogo e acrescente o creme de leite.
monte a torta em uma travessa, em camadas:
  1. todo o biscoito regado com a calda de abacaxi e/ou vinho branco suave
  2. creme
  3. pedaços de abacaxi
  4. creme
  5. pedaços de abacaxi
  6. creme
  7. sobre a última camada de creme, a cobertura, você escolhe entre: nozes moídas, coco ralado, chocolate branco ralado, pedaços de abacaxi ou todo mundo junto.

abracadabra et, voilà!!!
requeri/regina claudia

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

massa para torta com iogurte

tendo publicado a receita anterior, senti necessidade de divulgar duas receitas de massa para torta, que são um diferencial de qualidade.

as duas massas são com iogurte, ingrediente que lhes acrescenta uma textura especial e um sabor muito agradável.

primeira receita - massa líquida:
ingredientes:
12 colheres - sopa - de farinha de trigo integral
1 sache de caldo de galinha ou outro de sua preferência
3 ovos
1/2 de xícara - chá - de óleo
1 xícara - chá - de leite
1 xícara - chá - de iogurte desnatado ou natural
3 colheres - sopa - de queijo parmesão ralado
ou
150 g de queijo gorgonzola
1 colher - sopa - do meu tempero - receita, aqui
1 colher - sopa - de fermento químico em pó

preparando:
deixe o fermento por último. bata todos os ingredientes no liquidificador. em seguida, acrescente o fermento, misture com uma colher, e bata rapidamente, em velocidade mínima, para misturar. reserve.
prepare o recheio de sua preferência, derrame metade da massa sobre refratário untado com óleo, espalhe o recheio, cubra com o restante da massa, e leve ao forno pré-aquecido por 30 minutos, ou até que a massa esjeja dourada.

segunda receita - massa de abrir:
ingredientes:
1 colher - sobremesa - de fermento em pó
1 pote de iogurte desnatado - pode ser o natural
1 colher - sobremesa - de sal
3 xícaras (chá) de farinha de trigo
200g de margarina sem sal em temperatura ambiente
2 gemas

preparando:
numa travessa, colocar a farinha de trigo o sal, o fermento, o iogurte, as gemas, a margarina, e misturar. amassar delicadamente, sem sovar, até desgrudar das mãos.
forrar uma forma com a massa. furar com um garfo, toda sua superfície e as laterais. espalhar o recheio , cobrir com o restante da massa, pincelar com gema dissolvida em um fio de óleo de canola, e assar em forno médio - 180º - por 20 minutos.

abracadabra et, voilà!!!

terça-feira, 4 de outubro de 2011

torta de atum, muçarela e tomate

as receitas bem cuidadas, das avós, das mães, dos pais, dos tios, das tias, ou de qualquer agregado, geralmente são de comer com alegria, e de chorar pedindo mais.
a receita de hoje é uma dessas, além de rápida e simples.
é uma receita de família, passada de mãe pra filha. da minha parte, ela está sempre comigo e todo mundo adora.

massa de torta, todos nós temos a nossa preferida ou algumas pra serem utilizadas em diferentes receitas.
esta, a seguir, é uma das que costumo usar mas pode ser substituída por qualquer outra.

sugestão para a massa - ingredientes:
3 xícaras - sopa - de farinha de trigo integral - se preferir, pode usar a refinada
1/2 xícara - chá - de manteiga
1 colher - sopa - de fermento químico, em pó

preparando a massa:
amassar todo mundo, acrescentando água gelada.

ingredientes para o recheio:
uma receita de massa de torta - caseira ou comprada pronta
mostarda
2 latas de atum na salmoura, em pedaços
400g de muçarela ralada - já fiz com gorgonzola esfarelado, e ficou ótimo
5 tomates sem pele cortados em rodelas
1 caixinha - 200g - de creme de leite
flores de 1 brócolis ninja, cozidas em água e sal - opcional
1 colher - sopa - do meu tempero - receita, aqui
1 pote de iogurte natural
azeite de oliva extra virgem
pimenta do reino

nota da autora: a muçarela será usada em duas etapas, portanto, divida da melhor maneira.

preparando o recheio:
pré-aqueça o forno em temperatura média - 180°c.
faça uma receita de massa de torta ou utilize alguma industrializada.
refogue as flores de brócolis no meu tempero e no azeite. reserve.
estique e monte numa forma de torta. cubra o fundo da massa com uma fina camada de mostarda.
sobre ela coloque o atum.
sobre o atum coloque o brócolis refogado
cubra o atum com muçarela ralada.
disponha as rodelas de tomate, lado a lado, sobre a camada de queijo para cobri-lo.
misture o creme de leite com o iogurte e coloque uma colher - sopa - deste creme sobre cada fatia de tomate. cubra com outra camada de muçarela e regue tudo com o azeite. salpique a pimenta do reino, e leve ao forno pré-aquecido para gratinar, o que pode levar, mais ou menos, 20 minutos.

sirva acompanhada de uma salada verde com escarola, alface, rúcula, ...
esta torta é uma refeição completa para 2 ou 4 pessoas.

abracadabra et, voilà!!!

sábado, 1 de outubro de 2011

panqueca de batata

ingredientes:
6 batatas médias cruas
3 colheres - sopa - do meu tempero - receita, aqui
1/2 xícara - chá - de água
1 sachê de caldo de legumes
4 colheres - sopa - de óleo
suco de 1/2 limão
1 colher - chá - de bicarbonato de sódio
pimenta do reino, a gosto
3 ovos
2 colheres - sopa - cheias de amido de milho

preparando:
bater todos os ingredientes no liquidificador, pincelar uma frigideira com óleo de gergelim, aquecer a frigideira, pingar a massa com o auxílio de uma concha, e fritar as panquecas até dourar dos dois lados.
fica a critério de cada um, a altura da panqueca.
por exemplo, menos massa pingada na frigideira, dependendo do tamanho da frigideira, produz panquecas mais finas.
rechear como panqueca, ricota, creme de espinafre, com carne, presunto, muçarela, legumes refogados, enrolando, ou colocando o recheio com a panqueca aberta, uma sobre a outra, dobrada ao meio, ou simples, sem recheio, a panqueca mais grossa, coberta com molho branco ou molho de tomate, como na foto a seguir.
se quando for bater, você colocar na massa, 1 xícara - chá - de cheiro verde, a massa vai adquirir uma coloração verde e vai ficar mais saborosa.

enfim, eu dou a idéia, vocês fazem como preferir.

é isso.

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

couve-flor gratinada

a receita é um acompanhamento, é simples, e muito saborosa. o ingrediente principal é a couve-flor mas, embelezada pelo queijo gruyère ralado, pode se transformar em prato principal.

gruyère é um pequeno vilarejo medieval, fortificado, onde não se entra de carro, e que abriga um castelo, o chatêaux gruyère, um museu, o musée hr giger, e a maison gruyère ... [leia]
a vila fica no alto de uma montanha, e é rodeada por produtores do queijo famoso. são produtores artesanais ou abrigados em grandes fábricas.
ali, tudo é calculado para que o fabrico da iguaria seja impecável, e obtenha resultados excelentes:
a vaca come, por dia, 100kg da melhor e mais verdinha grama;
a mesma vaca bebe, por dia, 85 litros de água;
a produção, por vaca, é de 25 litros de leite, e pra produzir um queijo de 35kg - tamanho padrão - são necessários 400 litros de leite.
leia sobre o verdadeiro queijo gruyère
o gruyère, é um queijo duro de massa cozida e prensada, feito com leite de vaca não pasteurizado, com adição de um pouco de açúcar, e é originário do vale gruyère, na cidade de gruyères, no cantão de fribourg, na suiça.
essa descrição pertence ao autêntico queijo gruyère.
porém, seu nome é usado, pelos franceses, para denominar todo queijo de massa cozida, prensado, cilindrico, achatado, inclusive o emmenthal.

no brasil, tanto o emmenthal, quanto o gruyère são conhecidos como queijos suíços, embora visivelmente diferentes.

as olhaduras, chamadas de buracos, uma de suas principais características, no gruyère original, se apresentam em tamanho menor que as do emmenthal, e podem não aparecer.
o gruyère é de cor amarelo-palha ao amarelo-ocre, seu sabor é adocicado, suave, frutado, lembrando nozes, mais forte que o sabor do emmenthal, e sua textura é firme e elástica. sua casca natural é dura, seca e de cor castanho-ferrugem mais escura que a do emmenthal.

o gruyère é um saboroso queijo de mesa, e muito usado em receitas culinárias como, saladas, tortas, aperitivos, massas, omelete, fondue, soufflées/suflês, molhos, etc.

ingredientes para o molho béchamel:
4 colheres - sopa - de farinha de trigo integral - se preferir, use a farinha refinada
40g de manteiga/margarina
1/2 litro de leite
200g de creme de leite
sal e pimenta do reino, a gosto

preparando o molho:
aquecer lentamente a manteiga e a farinha, mexendo sempre, até obter uma espécie de massa.
acrescentar o leite aos poucos, sempre misturando, e mantendo sobre o fogo baixo, até que o creme fique cada vez mais liso, sem grumos.
durante o processo, acerte o sal, coloque a pimenta, sempre mexendo.
terminado o leite, sempre mexendo para não grudar no fundo da panela, deixe cozer mais um pouco, até que a farinha esteja cozida.
retire do fogo, aguarde uns 5 minutos, e acrescente o creme de leite.

agora prepare, e aconchegue a couve-flor.

ingredientes:
1 couve-flor
1 receita de molho béchamel
300g de queijo gruyère ralado
farinha de rosca

preparando:
pré-aqueça o forno na temperatura média, que costuma ser a 180°.
separar a couve-flor em flores, e cozinhá-las em água e sal.
em seguida escorrer os pedaços, e colocar num refratário. cobrir com o molho béchamel, espalhar o queijo gruyère ralado, e fazer uma chuva com um pouco de farinha de rosca sobre tudo.
para que o queijo não gratine demasiadamente, finalize a montagem com lascas finas de margarina/manteiga.
leve ao forno por 15 minutos, sempre vigiando para avaliar.

pronto!!!

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

batata gratinada com queijo gorgonzola ou roquefort

os queijos gorgonzola e roquefort pertencem à categoria de queijos azuis - leia sobre eles, aqui, e aqui.

ingredientes:
500g de batatas de tamanho médio
3 ovos
1 pote de iogurte
1 xícara - chá - de creme de leite fresco
sal
300g de queijo gorgonzola ou roquefort

preparando:
aquecer o forno em temperatura quente - o meu é a 200°.
cozinhar as batatas com casca, durante 10 minutos contando da ebulição. descascar, e cortar as batatas em rodelas.
numa vasilha quebrar os ovos, acrescentar o creme de leite fresco, o iogurte, e bater com um garfo.
colocar as batatas num refratário, e acrescentar a mistura dos ovos batidos sobre as batatas.
espalhar o queijo gorgonzola ou roquefort esfarelado, sobre tudo.
levar ao forno quente durante 15 minutos, ou até que esteja gratinado ao seu gosto.
servir com uma salada que misture alface, escarola, agrião, rúcula, tomates e alguma fruta.

simples assim.